sábado, 2 de agosto de 2008

Casamento

Pessoalmente tenho alguma dificuldade em lidar com os sábados de manhã, em Agosto. Porquê? Porque toda a gente entende que o sábado é o melhor dia para se casar e que Agosto é o mês ideal para se "dar o nó", expressão que acho particularmente deliciosa e apropriada ao pescoço de muitos dos noivos... Mas, o que me chateia mesmo, é ser acordado pelas buzinadelas dos automóveis por causa de um casamento...

1 - Gostava de saber porque carga de água os convidados entendem que todas as pessoas estão interessadas em saber que vai haver um casamento? E, afinal, estão a festejar o quê?

2 - Porque é que as pessoas insistem em vestir-se mal para os casamentos? Em primeiro lugar, homens e mulheres compram a roupa com antecedência, na inacreditável convicção de que vão perder peso até ao dia da festa... Estão a ver o resultado, não estão? Depois, ninguém compra roupa para si, compra para o casamento. E por falar nisso: não consigo perceber porque é que as mulheres compram sapatos para a ocasião e não para os pés? É vê-las a meio da festa, de cara em sofrimento e a descalçarem-se... E que culpa temos nós?

3 - Que falta de imaginação atirar-se arroz aos noivos... E que tal, à saída da igreja, lançarem preservativos ...e aspirinas? Isso sim, seria grandioso... E útil

4 - Eu começo a ter ódio aos fotógrafos de um casamento:
- Vá, vá, primeiro a foto de grupo;
- Agora os casados;
- Agora os solteiros
- Agora só os benfiquistas

Num casamento recente acabei com a brincadeira com um simples berro para os convidados:
- Agora só tiram fotos os homens de picha pequena e as mulheres frígidas...

Só ficou a minha avó, que é surda que nem uma porta, e eu que... bem, adiante...

5 - Bater com as colheres nos pratos para os noivos se beijarem também é bonito, sim senhor... Será que se eu pegar no prato e o mandar à parede os noivos vão dar uma queca* no copo-de-água? Ora aí está um nome interessante: porque se chama copo de água a uma refeição onde a única coisa que interessa é encher o bandulho até o botão das calças se soltar?

6 - Graça, graça tiveram Jennifer Cannon e Doy Nichols de Lexington, norte-americanos do estado do Kentucky, que se casaram numa casa de banho pública, sendo o vestido de noiva feito de papel higiénico. O casamento foi patrocinado por uma empresa do sector, o que acho uma boa estratégia de marketing. E enquanto a maioria das mulheres gasta fortunas para usar um vestido uma vez na vida, esta sempre pode dizer que tem o vestido de prevenção para qualquer eventualidade...



* o corrector não reconhece a palavra "queca". E sugere-me "queda" ou "sueca"... Pode ser...

15 comentários:

Moon_T disse...

Caro Jorge,
pessoalmente prefiro a expressao "vao-se enforcar"
va-se la saber porque...

penso que a tradiçao das buzinadelas terá aparecido quando um casamento qualquer coincidiu com o aumento dos combustiveis da altura, daí o dito businão do casório.

1-penso já ter respondido em cima mas continuo a achar que é um sinal de protesto. Ou pode ainda ser os convidados a tentar alertar os noivos para o que estao a fazer, nao sei.

2-nao sei ao certo a que te referes quando mencionas "vestir mal". pessoalmente nao aprecio muito as senhoras que insistem em usar vestidos com aqueles lindos padroes de cortinados ou toalhas de mesa mas enfim... tradiçoes.
prefiro a irmã da prima da noiva que , como nao conhece ninguem em concreto vai mais despida que vestida, o que é optimo contraste com os padroes das tias.
visto bem, acho que fica sempre bem um belo decote seja em que situaçao for...
(e até que é engraçado ve-las em sofrimento a descalçarem-se... chamem-me sádico)

3- lamento informar mas agora já ha padres que proibem atirar arroz aos noivos porque na escadaria da igreja nao cresce nada e depois ninguem limpa.
se lançassem preservativos, provavelmente, seria tomado como um protesto anti-reproduçao, o que seria visto de muito mau grado pela nossa senhoria o "xôr" prior e as restantes beatas. aspirinas até que já concordo, em prol do noivo, obviamente. já impedia a noiva de , chegando a noite de nupcias, vir com a "estória" da dor de cabeça.

4- os fotografos até que dão jeito. um tipo aproveita sempre a fase das fotos de grupo para assaltar as garrafas que estao ali mesmo a chamar por nos enquanto todos andam a simular sorrisos, nos criamos um belo sorriso... quanto à escolha de grupos, isso é subjectivo, onde está a irma da prima convem estar lá tambem abraçado e tal para caberem todos na foto, depois um dedo de conversa... o convite de partilha da tal garrafa roubada... enfim... dizem-me q isso se faz... eu obviaente que nao o faço porque até sou abstémio e timido!


5- sinceramente essa historia de bater com os talheres nos pratos tambem foi algo que sempre me intrigou. nao haveria nada mais suave para fazer que aquele "granel" todo?? nao admira que depois se queixem de dores de cabeça! e para que?para um "xoxo"?? imagino como seria para algo mais... martelos pneumaticos e bulldozers?

6- esse casal maravilha...
só tenho um comentario a fazer:
"será que estão a querer ou a prevenir-se de um casamento de merda?



obrigado


*nas respostas aos posts nao da para corrigir a ortografia mas concerteza haveriam umas quantas q seriam assinaladas...
queda na sueca tambem nao ta mal visto (qui ça a sueca nao é a irma da prima que veio de ferias à tugalandia)

Moon_T disse...

txiiiii
desculpa lá o testamento...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Grande moon_t

Não foi um testamento, foi mesmo um post. Que não gostava de estragar...rs.. Mas sempre te digo que fiquei com a irmã da prima da noiva na cabeça...rs...

Grande abraço

vita disse...

jorginho querido eu de casamentos nada percebo, inclusive o nem, o meu percebi..loool

Mas eu quando vou a casamentos mando logo com o pacote de arroz aos noivos..é mais pratico e eles começam a habituarem-se a levarem porrada..lool

Beijooooooo ternurento

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Vita

Eu, por acaso, nunca cheguei a casar-me, por isso, só entendo de casamentos na óptica do convidado... rs...

Ao preço a que o arroz vai ficar, depressa vais achar mais barato mandar baldes de... gasolina...rs... Para eles perceberem logo que o amor pode arder e deixar queimaduras...rs... Cruzes, credo, que conversa...

Beijiiiinho

gaijo disse...

ainda hoje vi uma tipa que mal entrou no restaurante, tirou e elegante sapato, de salto extra alto, para ir calçar um xinelo do chines.
É que ficava a fazer um optimo "pandam" com o resto da roupa

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs...rs..

Viva Gaijo

O que só prova a minha teoria sobre a compra de sapatos...rs..rs...

Siala ap Maeve disse...

Ler-te faz-me sempre sorrir, é bom ler alguém que não tem papas na lingua e diz o que todos ou quase todos pensam...e nos casamentos se se ouvissem alto os pensamentos dos participantes e convidados...LOL
Bjos meus

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Siala ap maeve, que bom receber-te aqui. Só não me dá jeito nenhum tartar-se Siala ap Maeve...rs... Olho para a mensagem que trazes numa mão e confesso que me apetece chamar-te Love. É bem mais prático...rs...

Se fosse possível ouvir o pensamento das pessoas no casamento, seria um desastre e acabavam os casamentos em três tempos... rs... O que, pensando bem...rs....

Beijinhos e obrigado pelos teus sorrisos

D.Antónia Ferreirinha disse...

Vou-te confessar uma coisa: bzzzzzzzzzz. Detesto essas pantomminices todas. E não me venham dizer que são românticas, são sim um tremendo gastar de dinheiro e uma tremenda falta de gosto.
Eu não "toco" pratos, rsrsrsrs e muito menos gasto dinheiro em roupas que futuramente nem usarei.
Beijocas.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva D. Antónia

Por um lado lamento que tenhas terminado as tuas férias, pelo que percebi divertiste-te bastante.

Por outro, é bom abrir a caixa de comentário e ver a tua fotografia...rs...rs... Quer dizer, não é bem a tua fotografia, mas o mistério, para mim, será revelado dia 6 de Setembro... rs... Tenho muita curiosidade em conhecer a cara que dá rosto a essa personalidade forte e divertida que, pelo menos na blogosfera, mostras.

Quanto aos casamentos, o que mais me enerva é a falta de imaginação. É tudo chapa cinco; há muita gente a fazer frete; não se inova em nada. E entra-se no jogo da hipocrisia, qual ciclo vicioso, em que se convida quem não se quer para não parecer mal; os visados, muitas vezes, até agradeciam não ser convidados; porque fui convidado, tenho de convidar para a próxima, mesmo que não goste; os noivos nunca têm a festa que, de facto, gostariam de ter, com as pessoas de quem realmente gostam.

Mas do que eu realmente gosto, é das tuas visitas. Já tinha dito isto, não já? Estou mesmo a precisar de férias, mas ainda falta quase um mês....

Beijinho

Laura disse...

Vim aqui rir mais e dar razão em tudo!
A acrescentar só o meu ar de naúsea e incompreensão cada vez que vejo um casamento.
As aspirinas amei...lol
Beijos e narizes

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Laura

Os casamentos até poderiam ter piada se:

- Os noivos fizessem o tipo de festa que realmente queriam;
- Convidassem apenas quem realmente desejavam ter na festa;
- Os convidados realmente quisessem ir e com vontade de se sentirem confortáveis
- Os sapatos novos fossem, estreados antes para não doer os pés...rsss

Beijinho

Jacinta Correia disse...

Foi pena não teres vindo assitir a mais um casamento no dia 3. Perdeste mais uma oportunidade de ouvir as buzinadelas (e de buzinar tb), de ver mulheres a descalçarem-se (felizmente não me aconteceu eheh mas se tivesse de ser...), de teres enchido o bandulho a valer a mesmo, de ouvir o barulho dos talheres (a base era de alumínio portanto o som foi diferente), e também de te divertires bastante porque nós (entenda-se Carvalheira) por cá transportamos animação. Claro que na hora da "imprescindível" concertina e no momento da cantoria aos berros a que chamam rancho, tive de ir para casa... era 1h da manhã e eu preferia mais o estilo "oceano pacífico". Mas correu mt bem e foi mm pena não teres vindo. Bj

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Jacinta, nem me contes...

Eu bem quis ir ao casamento do meu primo, de quem gosto mesmo, mas não deu mesmo. Ter de tirar dois dias de folga nesta altura era, de todo, impossível...

E sim, iria para encher o bandulho, que já está cheio por natureza...rs...rs..

E havia de me rir se te visse descalça...rs...

Mas nesse casamento eu estaria por gosto, com gente que gosto, não por frete.

E haveria de me rir que nem um perdido. E, se calhar, fazer as figurinhas que tanto ridicularizo. Talvez, no fundo, me esteja a ridicularizar a mim. Por isso criei este espaço de higiene mental... rs...

Beijinho