quarta-feira, 25 de junho de 2008

Eu, o carro e o computador

A minha relação com o automóvel e com o computador é muito parecida. No automóvel só sei onde colocar a gasolina e onde ligar a chave. No computador, onde ligar o cabo da corrente e onde está o botão para ligar o aparelho. Não me orgulho disso, entenda-se, mas por alguma coisa segui humanidades e, só a título de exemplo, jogos de computador com mais de duas teclas já me fazem confusão...

Ontem, tive um problema com o meu computador. Primeiro bloqueou, depois começaram a abrir umas janelas com umas mensagens cheias de códigos.

Por norma, assumo, sou o boi e o computador o palácio... Mas ontem à noite, confesso que me senti muito bem, porque consegui resolver o problema. Como?

1 - Insultei o computador de filho para cima;
Eu acho graça ao optimismo que revelo ao insultar uma máquina, como se o computador se fosse mesmo assustar com as minhas ameaças. Aliás, se ele falasse diria logo: byte foder...

2 - Insultei-me de filho para baixo por ser uma nódoa negra com computadores;
Quando percebo que uma máquina não me dá troco, tenho a tendência de me insultar. Não consigo domar a mulher, não consigo domar os filhos, não me consigo domar a mim, não consigo domar um computador... Sou mesmo uma nódoa... Ainda espero uns segundos na esperança que o computador tenha pena de mim, mas nada...

3 - Comecei a dar palmadas no visor, depois no teclado, finalmente no CPU.
Sei que não sou o único. Por isso, gostava que me explicassem o que nos leva a pensar que dando umas valentes palmadas numa máquina ela vai fazer o que nós queremos?
«Ai não queres trabalhar? Então toma que é para aprenderes... Anda lá meu estúpido...».
Mas nada.
O computador desliga-se.
«Querem ver que matei o animal?», desabafei...
O computador ressuscitou, pensei.
Um amigo meu diz que este ressuscitar tem um nome técnico: restart...
O problema continua. Pede-me para eu carregar num F qualquer coisa, mas eu só me apetece mandar-lhe com um F16 em cima dos cornos...

4 - Mudei de táctica
Depois de perceber que com maus modos não ia lá, respirei fundo e decidi mudar de táctica.
«Vamos lá, amigo. Não me deixes pendurado... Por favor...Pleaseeeee...»
Mas nada.
Também não deixa de ser optimismo acreditar que, depois de lhe ter dado um enxerto de porrada, o computador começa a trabalhar às primeiras falinhas mansas...

5 - Armei-me em técnico de informática
Perdido por um, perdido por mil. Vou armar-me em técnico de informática. Comecei a perceber que se fosse lendo o que me aparecia nas janelinhas era capaz de ter mais sorte. Voltei a respirar fundo, a tentar aqui, a carregar acolá e... voilá. O computador ficou bom... Como é que eu fiz? Sei lá...
Sei que esta semana nem vale a pena jogar no Euromilhões. Já gastei todo o stock de sorte...

30 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia Jorge!
Eu tenho uma técnica parecida quando o comando da TV não funcimina por ter as pilhas fracas...Carrego nos botões com mais força ou dou umas pancadinhas de amor contra a mesa..Não tenho tido a mesma sorte e acabo por fazer o que ele quer: alimentá-lo.
Bj
Luisa

manuela disse...

Que bom humor se vive por aqui! Deliciei-me com o teu texto!...beijos.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Olá Luisa

... rs... com tanto amor o comando não coopera? Que mau feitio... rs... Se bem que, pensando melhor, se o Joel está com fome também não vai lá com muitas brincadeiras...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Manuela. Bem vinda. Muito obrigado. De coração.

Pegando no teu comentário, respondo assim: «Que gente bem disposta passa por aqui. Deliciei-me com a tua visita...»

Espero ver-te de novo. Eu sou mesmo uma criança mimada e gosto de ser apaparicado...rs..rs...

Beijinho

Patrícia disse...

"Não consigo domar a mulher, não consigo domar os filhos, não me consigo domar a mim, não consigo domar um computador..."

Mas consegue domar a escrita como poucos. Obrigada pela partilha destes textos.Excelente!

vita disse...

Basta-me vir aqui e o meu dia fica logo mais bonito.;)

Não acredito nessa "tanga" de não domares nada..acho-te um domador nato..eu rendo-me há tua dominação.;P

Beijo domados jorginho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Patrícia:

Olha pra mim a ficar vermelho...
Agora podia armar-me em pseudo intelectual e dizer que não, que a escrita é que se apodera de mim, que eu sou um mero instrumento, etc, etc, mas seria um disparate tão grande como os que escrevo aqui. Assim, qual puto mimado, estou mesmo tentado a aceitar o elogio...rs..rs...

Aceito? Não aceito? Aceito? Não aceito?

Já sei... Fica aceite à condição. Se voltares é porque foi sincero...rs...rs...

(bela técnica de marketing. Gostaste?)
Cruzes, agora parecia mesmo o Nuno Gomes... E salta...)


Beijinho é muito, muito, mas muito obrigado

PS - Eu tenho um vício que qualquer dia ainda se vira conta mim. Como não acho piada a tratarem-me por você, primeiro olho para a idade das outras pessoas e se não for muito mais velho entro logo a matar com o tu... Espero que não te importes...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Tão querida, Vita...

Eu sei que ainda não reparaste, mas eu ando a coleccionar, deliciado, os teus beijinhos. Começaram por ser os beijos, passaram para beijinhos, depois vieram os beijos doces e agora os domados... rs...

Tu tens esse condão bonito de obrigar o meu ego a fazer ginástica. Ele dá o pino, ele fez piruetas, o mortal invertido à rectaguarda... rs...

Mas, sejamos sinceros, talvez a única coisa que eu domo verdadeiramente é a palhaçada e uma bela fatia de bolo de chocolate... rs....

Beijiiiinhos

PS - por falar nisso... Como te safas a fazer bolo de chocolate? ..rs..rs...rs...

vita disse...

Ah jorginho..tocaste numa das minhas melhores coisas..a cozinha.
Adoro cozinhar, adoro fazer doces..e sim faço-o muito bem.
Perco-me na cozinha (e não é por ela ser grande) é uma verdadeira paixão.;)

Beijos achocolatados.
(mais um para a coleção:)

Jorge Pessoa e Silva disse...

A sério, Vita?

hummmmm

Agora é que eu vou testar os meus dotes de domador: da próxima vez vê se guardas alguma coisa para mim... rs...rs...

Tem graça que eu também me perco na cozinha... Para levantar os pratos da mesa e colocar na máquina de lavar só com GPS...rs...

Beijiiiinho

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

por acaso eu acho que os computadores ainda são mais burros que nós! No outro dia liguei o meu e esqueci-me que o rato e o teclado não tavam ligados... lá carrego no botãozito pa ligar o animalóide e ele amanda-me com a mensagem: «Teclado não encontrado ou danificado. Prima F1 para continuar!»... Ele há computadores burros!! hehehehe

Mas a melhor receita para conseguir dominar o animal quando ele tá em parafuso é atirá-lo pela janela fora! Comigo já resultou uma vez! Nunca mais me deu chatices! hehehehe

Um abraço

TENHO DITO

João C. Santos disse...

Normalmente quando me "armo em técnico" fio com a certeza que o aparelho não volta a trabalhar...

as pancadinhas de simpatia normalmente ajudam sempre até ao ponto em que a força deixa de se medir...

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs...rs...rs...

Grande poeta Acácio... De facto, às vezes apetece mesmo cortar o mal pela raiz... Não fosse o preço de um computador e o receio de acretar na cabeça de alguém...

rs.. rs... rs...

Abraço amigo

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs... rs... rs...

Viva João Santos

Comigo acontece o mesmo, mas de vez em quando lá vem um dia de sorte... Por isso já raramente tento arranjar o que quer que seja porque perco tempo para acabar por entregar a quem sabe... E às vezes já não vai a tempo...

Além de que se me armo em técnico também acabo por perder a noção da força que tenho... E só não vai janela fora por viver num terceiro andar...

Abraço amigo

Casal Tuga disse...

Eheheh... Nós também,temos o mau habito de resolver as coisas com o computador, da pior forma! :-/

Ps: Se algum dia não comentarmos aqui , é mesmo por falta de tempo! :-(

Bjs & Abraços

An Ambush of Ghosts disse...

Heheheheh Jorge! Pois eu faço basicamente o mesmo com alguma maquina q não funcione, não exactamente pela mesma ordem...
1ª Um sonoro "FODA-SE!"
2º Procurar desesperadamente o manual da coisa e todas as instruções "CALMA...tu consegues!"
3ª Vociferar impropérios ao dito cujo, seguidos de palavras ternas como quem fez pior emenda q soneto.
4ª Uma valente murraça no estupor da máquina, já q não funciona ao menos descarrego a raiva, se nunca resolver o problema não há lugar p sentimentos de culpa.
5ª Chamar ajuda, com FODA-SE a cada duas palavras na descrição do problema.

E parabéns, parar um bocadinho para pensar resolve não todos, mas alguns problemas, ainda bem q conseguiste.

Cumprimentos Jorge, e restantes ;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Miguel e Sara

Muito já vos admiro eu pela forma como conseguem ter tempo e... paciência... rs...rs...

Pois é, muitos de nós hesitamos sempre entre "a máquina tem sempre razão" e "afinal quem é que manda aqui?"...

Beijinho e abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva, an ambush:

Mas olha que não me gabo de ter
conseguido porque acho que foi um bocado à sorte e a tentar ser intuitivo, o que no meu caso dá quase sempre azar.

Fui um bocado às apalpadelas a ver o que dava a té acertar. Aliás, dei tantas apalpadelas que se computador fosse mulher tinha até ficado sem pele... rs...

Cumprimentos

blueminerva disse...

Estes PC de hoje em dia são do caraças! Tinha um fóssil da informática e durante anos coabitaram milhões de vírus pacificamente no sistema sem nunca estoirar. Este que tenho, é supostamente melhor, mas caro, mais potente e mais capacidade de armazenagem, não aguenta um vírus paneleiro que fica logo encalhado!

Um abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva blueminerva :-)


Eis uma bela metáfora para os dias de hoje. Também as pessoas costumavam ser assim, aguentavam tudo e mais alguma coisa. Agora, muita gente não aguenta nada que entra logo em depressão... Deve ser da camada do ozono...

Qualquer dia temos mesmo a revolta das máquinas, de tal forma se estão a tornar sensíveis... cruzes...

Obrigado pela visita

PS - Como é que se sabe se um "vírus é paneleiro?" rs... rs...

Atever disse...

Por acaso eu sou o oposto. Sempre que alguma se avaria cá em casa, a primeira coisa que eu faço esventrar o objecto é tentar reparar a avaria.
Já me tenho dado mal com a brincadeira e lembro-me que o meu primeiro PC, ao fim de duas noites, ficou completamente às escuras.
Mas como eu já andava a ler sobre informática muito antes de ter PC, tantas voltas dei aos livros e revistas que em dois dias fez-se luz no computador.
Já quanto a chamar nomes aos objectos e a mim próprio, acho que andamos perto.
Nesse campo o acontecimento mais marcante na minha vida foi um dia que chovia a potes e a minha moto parou dois quilómetros depois de sair de casa. Depois de empurrar meia hora sem resultados práticos, estava tão exausto que já mandava as minhas caralhadas mesmo junto à paragem do autocarro, e com o pessoal todo a olhar pra mim, desatei ao pontapé à puta da moto que fiquei com o dedão do pé direito todo negro eheheh.

Patrícia disse...

A tua técnica de marketing resultou...voltei. O elogio foi sincero, agora és obrigado a aceitar. Hihihi!

PS: Tal como tu tens problemas com o PC, eu tenho os meus problemas com este teclado, também não o consigo domar. O que eu queria escrever era "Mas consegueS..."

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva atever

Se eu disser que vou tentar reparar uma avaria é um belo de um eufemismo para dizer "vou dar cabo disto de uma vez". Aliás, entre os vendedores de material electrónico eu sou conhecido como o "mãozinhas de ouro". Deixo tudo sem concerto e tenho de comprar novo...rs...

Bem, o que a tua mota te fez foi uma filha da putice... Eu vingava-me e deixava-a ali mesmo, sozinha, para aprender... rs... O problema é que quando voltasses já não estava lá, seguramente...

Grande abarço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Obrigado Patrícia

Estava com receio que não voltasses, queria muito aceitar aquele elogio...rs...rs...
Ainda bem que conseguiste resolver o problema no teu teclado...rs...rs... sinto-me mais confortável...

Beijinho

PS - Acho graça porque este blog também é um pouco como o sexo e a cidade. Mas sem sexo e sem cidade...rs...rs.

LNeves disse...

"Não consigo domar a mulher"

LOL Domar uma mulher? Ninguém doma uma mulher...Oh filho, isso é mito urbano!!!!

***MUAH***

Jorge Pessoa e Silva disse...

A quem o dizes lneves, a quem o dizes... Um homem quando está a praguejar com o computador diz o primeiro disparate que lhe vem à cabeça. E o segundo, e o terceiro...rs...

Eu já aqui escrevi um dia destes que o maior bluff da história da humanidade foi o homem ser o sexo forte. E, se queres que te diga, ainda bem que é bluff. Se a humanidade dependesse só do homem há muito que tinha acabado... rs...

Beijinho

Atever disse...

Ah mas é que isso mesmo que eu fiz. Atirei-a, literalmente, para a valeta e fui a casa mudar de roupa e telefonar (ainda não havia telemóveis) para a oficina a vir buscar.
O que eu sofri com aquela puta, durante 15 anos, só eu sei eheheh.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Atever...


Como é que conseguiste aguentá-la 15 anos a sofrer? Ninguém consegue aguentar um marido ou uma mulher durante tanto tempo a dar esses problemas...rs...

Abraço

D.Antónia Ferreirinha disse...

"Mijei-me " a rir.
Eu de computadores percebo o básico, e quando me enervo apelido-o de filho para cima, filho para baixo, mas não faço como a outra, o técnico ao telefone mandou-a fechar as janelas e ela perguntou se era preciso fechá-las todas. Mediante um sim de resposta, fechou as janelas de casa todinhas, eu se fosse técnico mijava-mea rir, ai mijava, porque cada vez que me lembro dela a contar eu desato a gargalhar .
Beijoca.

Jorge Pessoa e Silva disse...

D. António

Depois de um post sobre merda nada como outro que te faz mijar a rir... rs...

E olha que ao nível dessa história só talvez uma reclamação para a Via Verde de uma senhora que queria devolver o aparelho porque lhe estava a estragar as escovas pára brisas quando as punha a funcionar...

Beijinho