quinta-feira, 26 de junho de 2008

Conversa de... merda



Ri-me com um post que a blueminerva publicou em que dá conta de uma conversa entre duas mães sobre... fezes dos filhos, o que é, literalmente, uma conversa de merda...

Elas estavam a discutir a consistência, a cor, o volume das abençoada fezes. E a blueminerva diz que só aguentou ouvir a conversa até à parte em que uma das mães se excita e diz que o filho caga como se fosse um leão da savana...

Vou-te dizer uma coisa, blueminerva, se eu estivesse a ouvir a conversa não me ia embora. Metia-me ao barulho e dizia:
«Olhem, o meu filho caga como pombo... Já não é a primeira vez que me acerta quando estou a mudar a fralda...»

40 comentários:

An Ambush of Ghosts disse...

LOLOLOLOL

Okayyyyyy !

Epah nem sei o q comente mesmo.
Ainda tou a pensar na comparação do leão da savanah.
Aiiiii, q me desmonto aqui a rir !

Cumprimentos ;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva, an ambush...

Soube-me bem ouvir as tuas gargalhadas. Obrigado...

Cumprimentos

LNeves disse...

AHAAHHAHAHAHAHAHAHAHA Caguei-me a rir OLOLOLOLOLOOLLOLOLO

***MUAH***

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva lneves

Que saudade eu tinha dessa gargalhada e desse teu sorriso contagiante...


Beijinho

Miguel Barroso disse...

Por falar em cagar, peguei num ego distorcido e fi-lo ver as pinturas do Fred Einaudi durante seis invernos. O resultado, plantado num autoclismo psicoterapeuta, está no EU, SER IMPERFEITO.

Tem pombas brancas que debicam caveiras não-pombalinas que cagariam bem nos nossos iluminados autarcas altercados.

Gostei do post. Do seu, digo.

Do meu gosto, mas faz-me dói-dói no arroz integral que debico enquanto comento o seu post.

Miguel Barroso disse...

Caro Jorge, pior seriam as mamãs desumbigadas falarem de coprofagia, ou praticá-la.

Miguel Barroso disse...

Ou coprofilia...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Miguel

As férias fizeram-te bem, vens em forma...

Um abraço

Miguel Barroso disse...

Nada como férias de nós próprios. O fruir do não-ser. O auto-conhecimento. Sem pombos, nem lombos, nem tombos.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Ora aí está uma coisa que pensava ser um mito urbano, caro Miguel: conseguirmos tirar férias de nós mesmos. Era o que mais precisava neste momento.

Abraço

Patrícia disse...

Ahahahah! É um defeito de todas as mães (ou quase todas) compararem os cócós dos filhos, diria mesmo inevitável.

PS: Também já passei essa fase, lol.

Beijinhos

Miguel Barroso disse...

Caro Jorge, podes fazê-lo mesmo a trabalhar.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Confesso que nunca tinha reparado, Patrícia... rs... Nós homens gostamos de comparar o peso, a altura, o tamanho da pilinha...rs...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Dá para resumir a receita de tirar férias de mim mesmo, Miguel?

Abraço

Miguel Barroso disse...

sim, é simples(comigo é canja...)e eu deixo-a aqui:

- admitir que não mandamos em nós
- cagar na auto-piedade
- viver unicamente o dia de hoje
- comer arroz ao peq. almoço
- amarmos o nosso eu
- fazer um favor a alguém, e se esse alguém der conta...não conta
- mandar foder noticiários
- evitar a pressa
- não tentar resolver todos os problemas
- estar feliz, porque sim
- ajustarmo-nos à realidade e deixarmos de ser mentecaptos pensando que tudo devia ser como desejamos
- cozinhar algo e expulsar o people da cozinha, se o houver
- mamar chá de três anos com a(s) pessoa(s) que amamos
- mandar foder o que nos irrita
- evitar a indecisão
- rir
- aprender diariamente algo
- fazer 2 coisas que odiamos fazer
- não revelar dor, se existir
- comer algas e cogumelos a curtir um som
- desligar a puta da tv
- não tentar controlar nem manipular ninguém, muito menos nós
- sonhar em cortar a barba do Herbie Helder
- evitar gajas com t-shirts da selecção
- pensar na Adília Lopes
- não ter medo
- cheirar uns seios
- evitar pensar em nós

Miguel Barroso disse...

Não, não é contraditório.
Não, não é difícil.
Sim, resulta.

se não resultar, dou consultas de borla.

Miguel Barroso disse...

A sério que dou.

Miguel Barroso disse...

receita dois, para gente mesmo a ressacar de férias:

- contrariar a vontade de ir de férias
- aceitar e estar grato por termos euros no fim do mês
- não nos fodermos todos com substâncias alteradoras
- telefonar-me
- evitar entrar em centros comerciais
- cagar no sofá (não literalmente)
- meter o orgulho no cú e contactar alguém a quem tenhamos fodido a vida
- telefonar-me outra vez
- ver uns blogs fixes, evitando os paranóicos(vulgo...os meus blogs)
- arrumar e desarrumar a casa

Miguel Barroso disse...

ainda existem mais alternativas, tipo nativas.

Miguel Barroso disse...

AH, e muito importante: evitar que filhos duma grandessíssima puta façam plágio do que escrevemos, como um merdas fez agorinha mesmo com um poema meu.

(o que vale é que ainda posso ganhar uns euros com isso e fazer um post a fodê-lo)

PS - Lamento o uso deste tipo de linguagem, mas há coisas do outro mundo...

vita disse...

loooool jorginho..até fiquei sem vontade de comentar..loool
Não vah sair merda.;)

Beijos jorginho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Miguel

Só tenho algumas objecções:

- Há T'shirt's da Selecção que são bem giras...
- Arroz doce ao pequeno almoço também serve?
- Sou uma nulidade a cozinhar. Se expulso alguém da cozinha passo fome...
- Posso meter o orgulho noutro lado qualquer?

Tudo o resto me parece bem...

Abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Olá Vita

Nãaaaao. De certeza que te safavas em beleza. Tens sempre presença de espírito para escapares até das situações mais embaraçosas... rs...

Beijiiinho

Miguel Barroso disse...

Caro Jorge,

- o arroz integral ao pequeno almoço é doce. Leva geleia de arroz.
- Giras são as mamas das t´shits(sim, t-shits...) da selecção, se bem que não seleccionava 90% delas.
- Cozinhar arroz para o peq. almoço é mais simples do que aparenta. Atira-se uma de arroz para seis de água, tapa-se e passado seis ou sete horas tá pronto. Julgo que isso consegue fazer :)
- Quanto ao orgulho pode colocá-lo onde quiser, mas dentro de si. Olhe, ponha-o no bolso!

Miguel Barroso disse...

PS - O imberbe ladrãozeco de poemas pede desculpa. diz que não se tinha apercebido que eu tinha o nome por baixo; o que lhe respondi por mail foi que além de ser atrasado mental, cego, é parvo, mau ladrão, parolo, mentiroso e arrogantemente patético. O problema não é gamar, é gamar porque o poema estava sem nome?
Ele há com cada lula na blogosfera.
Por mim pode fazê-lo mais vezes, quantas mais mais eu receberia euros de direito.
Eu bem ofereço terapia de borla, freuda-se!

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

ora aí está a chamada conversa de casa-de-banho!
Pergunto-me se a senhora que se excitou ao proferir aquelas sábias palavras da comparação do filho com o leão da savana terá, de facto, presenciado a cagadela real de um leão!
Eu acho que, depois delas cagarem as merdas todas eu saia da mesa e dizia:
«Vou ali arrear o calhau e já venho!?» hehehehehehehehehehehe

Ele há coisas do catano! HEHEHEHE

Um abraço meu caro

TENHO DITO

blueminerva disse...

Como já referi caro Jorge, é provável que quando eu for mãe, também eu me gabe dos cagalhões da minha cria...
Beijocas

Jorge Pessoa e Silva disse...

Caro Miguel

Grato pelos conselhos, vou pensar em tudo isto de forma integral. E folgo em sabe que nada como uma conversa amiga para se resolver um problema com um plagiador... Há sempre a hipótese de ser dar um estalo, mas acho que isso tem direitos de autor...

Abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Grande e sábio e sempre eloquente Poeta Acácio:

De facto, eu também comecei a pensar se ela já viu algum leão a desabafar na savana...

Para ir pelo seguro, também poderia ter falado em cagar como o elefante do jardim zoológico...

Um grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Blueminerva:

Não duvido, não duvido... rs... E eu também não posso falar muito que já me gabei do estilo com que o meu filhote alça a perna, faz uma careta e liberta os gazes... rs... Foi aí que percebi o quanto é parecido comigo...rs...

E também já gabei o rapaz ter uma pilinha bem grande... Se bem que, neste caso, voltam as dúvidas se será mesmo meu filho...rs...

Beijinho

Filipa Sousa disse...

Lol

Sem duvida, uma conversa de merda...

Junta-te ao grupo também eu já levei com as cagadelas da minha filha, mas nem me atrevo a partilhar o episodio....é que seria dizer muita merda e ainda chega aí o cheiro...lol

Bjinho grande Jorge

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Filipa

A primeira vez que isso me aconteceu foi quando estava a fazer a estimulação anal com aquele tubinho do Bebe Gel para soltar os gazes que tanto o atrapalharam no início. Mas como eu estava cheio de medo de magoar o bebé, decidi baixar-me um pouco para ver se estava a introduzir o tubo como deve ser. E não é que estava?

Beijinho Filipa

D.Antónia Ferreirinha disse...

Rsrsrsrs.
Que conversa de merda.
Beijinho.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva D. Antónia

É umas das consequências de se ter filhos... Às vezes chegamos a ter uma idade mental ainda menor do que a deles... rs... rs...

Beijinho

Léa disse...

Tem coisinha mais fofa que cocozinho de bebê? rsrsrsrs

vita disse...

Lá fofa é..alem de cheirar mal e ter uma cor amarelada..verde..e até azul..loooool

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Léa

Para ser sincero, lembro-me assim de algumas, como os sorrisos, o tentar balbuciar palavras, a tentativa para tentar agarrar objectos...

Mas também confesso que fiz uma festa na primeira vez que ele urinou na minha camisa depois de lhe ter mudado a fralda e enquanto o levava para o banho...rs... Ainda não tive coragem de a pôr a lavar...rs...rs.

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs.

É verdade, Vita... E não dá vontade de dar um beijinho na nádega? (Mas depois de muito, mas muito bem limpo...rs..)

e de lhe roubar a bochecha de tanto beijinho e de fazer brrrrr na barriguinha...

Beijiniiiinho

LeniB disse...

Obg pela simpática visita!!
Diverti-me bastante ao ler este texto...estava a precisar.
bjs

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Lenib


Não tens nada que agradecer e eu só lamento não ter tempo para te ler com maior assiduidade.

Fiquei com um arrepio com o "estava a precisar". É a ouvir coisas destas que nos sentimos bem.

Beijinho