quinta-feira, 29 de maio de 2008

Toca a rezar

Segundo li no Diário de Notícias de ontem (fica sempre bem a um jornalista estar a comentar notícias da véspera...), as "famílias portuguesas gastam um terço a mais daquilo que ganham". Uma conclusão do Relatório de Estabilidade Financeira do Banco de Portugal, referente a 2007.

Eu confirmo, para além do meu ordenado, gasto o terço que tenho lá em casa, oferecido pela vinha avozinha, e desato a rezar cada vez com mais força: "... o pão nosso de cada dia nos dai hoje...".

4 comentários:

Anónimo disse...

Olá novamente Jorge.
Não sei o porque de tanta confusão... O preço do pão aumentou? Comem-se mais batatas e pizzas caseiras (ouvi dizer que fazem até emagrecer,juro!). O preço do arroz e subprodutos vão aumentar? Então qual é a crise? Substitui-se o arroz de cabidela por batatas de cabidela? Não se conseguem comprar roupas para o pessoal nem na altura dos saldos? Não há crise, assaltasse a casa dos avós e resgatasse a máquina de costura. Para fazer uns trapinhos da moda basta uns 2 ou 3 sacos de sarapilheira (aqueles que vêm com as batatas)... O que quero mesmo dizer é que a solução são as batatas! Não espalhem por aí a noticia senão ainda se lembram de nos pagarem em espécie...

Joana Dalila Santos disse...

Olha... essa das batatas é que está muito bem vista... =P

Jorge Pessoa e Silva disse...

... e qualquer dia temos de andar de carrinhos de rolamentos, que sempre é mais divertido e fácil de estacionar. E há muitas pontes com vistas soberbas, onde a malta pode viver...
Um abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Por falar em batatas, Joana. Eu bem sei a quem oferecia algumas...