sexta-feira, 4 de julho de 2008

Tenho filhos órfãos de... pai!

Eu já andava a achar estranho porque é que as crianças do infantário da minha filha começavam a rir-se quando a ia levar. É certo que eu também me metia com elas, acabava sempre por dizer uma graçola, mas achava curioso ter tanta popularidade.

O mistério foi hoje desfeito no último dia de infantário deste ano lectivo e prende-se com um exercício que as crianças fizeram na sala sobre os pais. E enquanto umas crianças elogiaram o pai pela sua força, por trabalhar muito, por serem polícia, advogado ou médico, a minha filha elogiou-me muito por ser... palhaço. E as crianças passaram a olhar para mim de outra forma.

De facto, eu já andava a perder ilusões quanto ao exercício do poder paternal. Vocês não imaginam o quanto é frustrante estar a ralhar com a minha filha e ela começar a... rir-se. E quanto mais sério e convincente eu tento ser, mais ele interpreta isso como sendo uma das minhas palhaçadas e, definitivamente, não me leva a sério. É só brincadeira...

Hei-de ter mais sorte com o meu filho. Afinal só tem três meses e está muito a tempo de lhe ser ensinado que o pai manda e tem de ser levado a sério. Mas começo a ficar preocupado.

Ontem, ele estava perdido de sono. Ofereci-me logo para o adormecer, pensando que seria canja e em trinta segundos dormiria que nem uma pedra. Pura ilusão. Peguei nele ao colo, comecei a embalá-lo cantando uma canção e ele... desata-se a rir... Teve de ser a minha mulher a adormecê-lo, face ao estado de excitação dele...

Os meus filhos, pelos vistos, vão crescer órfãos de pai. Em compensação, ganharam um irmão mais velho. Como eu sei que muita gente que me acompanha no blog tem filhos, há alguma maneira de ser levado a sério pelos meus filhos?

Obrigado

12 comentários:

Jacinta Correia disse...

A alegria k dás aos teus filhotes é a tua melhor herança. Não queiras ser diferente pk tenho a certeza que eles estão bem assim. Com este comentário, transformei o teu post num assunto sério....Mas algum dia, havia de acontecer. Bj gd.

blueminerva disse...

Não há melhor elogio, do que o elogio da tua cria! O meu pai também é assim... mais palhaço que pai, mais criança que adulto e á custa disso, tive uma infância fantástica!
beijocas

D.Antónia Ferreirinha disse...

Ainda queres melhor?
Isso é excelente.
A nós também nos fazes rir, pois ainda bem que a eles não é excepção.
Beijinho.

vita disse...

Jorginho quando souberes avisa..eu tenho um com 20 anos e ele não me leva a sério vai para muitos anos.
Aliás cá em casa a filha sou eu, ele manda em mim..até quando saiu há noite me diz.."vais onde? com quem? a que horas chegas?

Irra que é chato, a sorte é que eu já tenho prática de mentir para as saídas..era aos pais agora ao filho..;P


Beijo muito grande jorginho

Olá!! disse...

Há pois, quando os levamos a sério também ;)).
Com a tua forma de ser pai, quando chegar a altura aposto que te vais dar lindamente com eles :)
Bom fim-de-semana
Beijossss

Jorge Pessoa e Silva disse...

Eu gosto quando falas a sério, Jacinta. O teu bom senso é uma lâmpada de lucidez para mim. E obrigado pelo voto de confiança.

Beijinhos, amiga

Jorge Pessoa e Silva disse...

Obrigado blueminerva pelo teu testemunho. Fico mais confiante, apesar de às vezes me cansar o dobro porque para ela fazer o que quero só na base da palhaçada...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva D. Antónia

Obrigado pela força. E só mesmo os filhos para nos obrigarem a fazer aquelas palhaçadas quando, por dentro, às vezes só queremos chorar. São mesmo o melhor do mundo, as crianças, como disse o meu homónimo Pessoa.

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs.rs..rs..rs..rs...rs..rs...rs.

20 anos, Vita? Cruzes, sorte a dele ter uma mão à maneira... rs...

Há dias a minha filha acordou p+or volta das duas da manhã para ir à casa de banho e eu estava no computador. Acreditas que ela, que tem cinco anos, ralhou comigo e mandou-me para a cama? Lindo de se ver...

Beijiiiinho grande

Jorge Pessoa e Silva disse...

Olá, Olá... rs....rs... (Desculpa, divirto-me sempre com o duplo olá...)

Deus te oiça, Olá... Todos os dias me questiono se estou no rumo certo. Tenho sempre receio que o meu exemplo não seja o melhor. Sou um bocado desorganizado, nem sempre tenho noção das coisas e também prefiro brincar a cumprir primeiro o que temos de fazer...

Eu tive um pai do qual me orgulho muito, pelo exemplo de homem que foi. Mas algo distante, até pelo pouco tempo que tinha para estar com os filhos, e pouco comunicativo. Eu sou o oposto dele: não serei o melhor dos exemplos, mas prezo muito a relação afectiva com os meus filhos. Porque muitas vezes acredito que eu próprio não cresci até chegar a adulto...rs...

Beijinho

2cute4you disse...

Acho tão importante que consigas colorir a vida dos teus filhos! Portugal tem gerações e gerações de gente cinzenta que se ri quase por decreto! Felizes os filhos que possam encontrar no pai mais que aquele que biológicamente os gerou! E estou certa que se um dia tiveres que ser levado a sério serás! Beijo de uma mamã também muito palhaça,feliz e babada!

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva 2cute4you

Concordo contigo quanto ao cinzentismo de muita gente e assusto-me também com a falta de tempo e de paciência de muitos pais para os filhos. Às vezes ponho-me a pensar se serei o melhor exemplo para os filhos, se terei a autoridade suficiente para os levar pelo rumo certo. Na dúvida, prefiro que eles se sintam bem na minha companhia, que se riam comigo e que possam vir para o meu colinho sempre que estiverem tristes.

Sei que uma palmadinha, psicológica que seja, também pode ser importante, além das gargalhadas e dos beijinhos. Mas eu é mais palhaçadas mesmos. E beijinhos então...

Muito obrigado mesmo pelo teu testemunho

Beijinho