segunda-feira, 14 de julho de 2008

Homem mente sempre?

Dou comigo a pensar: porque é que as mulheres nunca acreditam nos homens?

Se passamos o dia a fazer-lhes elogios é porque temos algum problema na consciência; Se não fazemos elogios é porque não nos interessamos por elas;

Se queremos ajudar nas lides domésticas dizem-nos que fazemos tudo mal; se não ajudamos somos machistas;

Se queremos sexo todos os dias é porque somos tarados; se não queremos é porque andamos a comer por fora...

Se nos lembramos de datas importantes é porque alguém nos lembrou; se esquecemos é porque não estamos minimamente interessados;

Se damos a nossa opinião sobre que roupa elas devem vestir não temos gosto nenhum; se não damos é porque não nos preocupamos com o aspecto delas

E muitos mais exemplos poderia dar.

Lembrei-me disto a propósito de um post que a Vita publicou há dias. Um diploma que reza o seguinte:

«A Universidade Sexyin confere o grau de doutor a Vita, decorrente do mestrado em Psicologia Social, doutorada em Psicologia da Intimidade, tendo obtido 19 valores na defesa da sua tese»

Eu dei-lhe os parabéns, já que me orgulho dos feitos das pessoas de quem gosto, e resolvi ser honesto no meu comentário:

"A Universidade Sexyin atribui a Jorge Silva o grau de "maior desastre ambulante na história deste estabelecimento de ensino", tendo apresentado a tese "como levar a mulher ao orgasmo", que lhe valeu 19 valores na cadeira de... humor hilariante. Mais se alerta a população feminina para a extraordinária inépcia na arte da comunicação corporal do aluno"


O que me respondeu ela? Que não acreditava.

E se eu tivesse dito que eu tinha tirado... 21, com tese em levar uma mulher a Plutão e voltar, com paragem em Saturno para lhe oferecer os anéis; que Casanova seria considerado um aprendiz ao pé de mim; que John Holmes tinha uma pilinha de criança ao pé de minha, o que me responderia a vita? Que não acreditava...

Estão a ver? Diga a gente o que dizer as mulheres não acreditam...

20 comentários:

Moon_T disse...

Caro Jorge,
está mais que provado que o cerebro masculino não funciona da mesma forma que o feminino.
tambem ainda nao compreendi se será alguma diferença em valores e/ou prioridades se serão apenas os impulsos electricos provenientes das descargas cerebrais que estarão trocadas nalguns polos. Mas que é uma realidade é! Não "funkam" da mesma forma.
embora haja realmente aspectos semelhantes, visto que há mulheres cujas perspectivas se assemelham bastante às dos homens (ou serà vice-versa?)
Certo é que após alguns anos (poucos visto ser um jovem em inicio de vida...) cheguei à simples conclusão que ser fiel aos meus proprios principios e prioridades confere uma mais pura relação seja com quem for. Se acho uma data, roupa, se quero ou nao sexo, digo e pronto. É certo que por vezes (talvez a maioria) as coisas sejam mal interpretadas etal, mas isso já é um caso da minha falta de jeito com as palavras...seja como for o problema aí não é o de não acreditar mas talvez de não compreender.

Mesmo assim desconfio que elas até acreditam mas preferem marcar a posição, apreciam desafios e fazem questão de marcar a sua posiçao.

Woman... cant live with them... cant live without them...


obrigado

Jorge Pessoa e Silva disse...

Grande moon_t

Quando leio o que escreves acho difícil seres mal interpretado por falta de jeito com as palavras, a não ser que não tenhas mesmo jeito nenhum para os eufemismos e olha que um eufemismo sempre à mão às vezes dá um jeitão...

A questão de homens e mulheres terem padrões de funcionamento diferente, nomeadamente na questão do sexo (há algum homem que se importe dos padrões diferentes noutras áreas?), já me levou à interessante questão se a homossexualidade não faz muito mais sentido do que a heterossexualidade e se os casais homossexuais não serão sexualmente mais realizados, já que estão com alguém com o mesmo padrão comportamental.

Normalmente avanço com estas teses em tertúlias, lanço a bomba, começa a confusão e fico só a ouvir... .rs... Só para agitar as águas, só para pôr a malta a pensar...

Tese interessante que lanças a debate é elas acreditarem sim mas fingirem que não. Por uma questão de controlo, de nos manterem em sobressalto, mostrarem quem manda (comigo estão descansadas porque eu sei muito bem que elas é que mandam...), sei lá...

Aguardemos a chegada de mulheres a este espaço

Um abraço

Moon_T disse...

Caro Jorge,

queria só marcar aqui uma posiçao minha; ha realmente padrões que me importem noutras areas, mesmo que, o sexo nao esteja implicito.
por vezes é dado demasiada importancia ao sexo... aliás, nem será a importancia porque de facto é muito importante, é-lhe é dado demasiado protagonismo, fazendo com que caia na banalidade, futilidade e por vezes até mesmo na "brejeirice". O que é uma pena, sendo este assunto um assunto perfeitamente natural e de possivel conversação falando sem tabus ou preconceitos e sem cair na ordinarice que tanta vez vemos.
no que concerne à homosexualidade acho que na maior parte dos casos tem a ver com o facto de duas pessoas se sentirem bem, se ligarem, e "conseguirem chorar no ombro um dos outros". o sexo nesse aspecto é apenas paisagem. os gostos sexuais foram demasiado manipulados durante tempo demais na minha opiniao. daí a razão que vejo tanta falta de identidade sexual que se nota por aí nos dias de hoje.
as modas veem e vao... e como tudo.

depreendo portanto que és um "belicoso"... lançar teses como um insecto e ver a sua evolução... bem vindo ao clube. hehehe

Não quero de forma alguma lançar tese em debate num espaço que é teu, apenas opino e comento (por vezes até demais).
partilho contigo e com quem quiser ler as minhas ideias e opinioes relativamente ao que aqui leio, nada mais.
respeito o espaço dos outros tal como espero que respeitem o meu.

comigo tambem estão descansadas, sou, por opção, um fraco submisso assumido... (nao perdendo a minha personalidade obviamente)
consciente que já me basta por vezes a batalha que travo entre ambas as minhas cabeças, quanto mais agora oferecer resistencia a quem, quer eu queira quer não, consegue sempre tomar conta se não de uma, a outra.
tambem nao sei... mas que até que é bom, é! :)




obrigado



ps. eu tentei demonstrar que nem tudo é sexo, porque realmente não é! mas não é facil...

vita disse...

loooooooool

Oh Jorginho..
Este teu post tem demasiadas contrariadades.

Primeiro o diploma é uma brincadeira de um site onde sou admin, e só o postei por piada.
Logo ao dares-me os parabéns por algo que eu não sou, foi uma brincadeira também.
Considerei a tua resposta como fazendo parte da "piada", e a brincar também disse que não acreditava.

Vejamos no fim estavamos os dois a "brincar".

Mas o teu tema tem sentido, as mulheres são umas incrédulas,talvez as prioridades sejam diferentes e as mentalidades também mas as reações das mulheres a atitudes dos homens deveriam ser estudadas (lol)porque realmente não é algo facil de entender.

Eu tenho para mim que a falta de diálogo tem muita culpa nesse cartório e muitas vezes nem é não acreditarem, apenas não compreendem.

Mas como só posso falar por mim concluo que sou como os advogados, até prova em contrário são inocentes..eh eh

Beijos diplomados Jorginho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Começo pelo fim, caro moon_t, e pelo teu acto da mais pura inteligência de não oferecer resistência a uma mulher. De uma maniera ou outra elas ganham sempre, tem mais resistência, mas armas, estão melhor capacitadas para asumirem o controlo.

Sou de facto uma pessoa que adora uma boa discussão. Acesa, acalorada,quanto mais polémico o tema melhor. Alguém um dia escreveu que a melhor maniera de iniciar uma boa conversa é dizer um disparate. E eu gosto de lançar biscas para cima da mesa, quem quiser que pegue nelas e incendeia-se o rastilho da discussão. Sem tabús.

Eu tenho dificuldade em saber o que é brejeirisse no sexo. A fronteira não a traço na qualidade, na frequência, no grau de romantismo ou de amor, mas na livre vontade das pessoas envolvidas. E desde que sintam bem assim, saibam o que estão a fazer, sejam monogâmicas, liberais, homosessuais, tudo bem. Claro que fenómenos como a pedofilia não entram nestes esquemas, por razões óbvias.

Em relação à homesexualidade, o tema levar-no-ia demasiado longe. Como costumo dizer a brincar, o certo é que quem atravessa a linha raramente volta.

Grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Linda amiga Vita


Eu não tenho a mais pequena dúvida que terias aquela nota naquele curso se ele existisse e o quisesses tirar. Como sei? Não sei, avalio apenas a tua capacdade de comunicar, de nos envolveres com a tua escrita, as tuas ideias, as tuas histórias. Avalio a tua capacidade de nos envolveres na teia da tua personalidade. E o sexo, como linguagem por excelência, porque sem barreiras e expondo-nos ao máximo, é uma continuidade de tudo o que nós somos.

Claro que foi brincadeira, tua e minha, e eu quis pegar nessa brincadeira para reflectir sobre a nossa dificuldade em sermos levados a sério pelas mulhres.

Acho que o moon_t tocou num ponto interessante: elas até podem acreditar, porque as mulheres nos lêm muito melhor do que nós, mas a desconfiança é uma forma de nos porem em sentido, de nos controlarem, mesmo que de forma inconsciente.

Problema de comunicação? Também. Temos padrões de linguagem e de pensamento diferente.

E obrigado pelo voto de confiança. Sou mesmo inocente...rs..

Beijiiiinho

Ju disse...

Jorge,
Eu sou um caso à parte, como sou uma saloia assumida, acredito sempre no que o meu mais que tudo diz.
Se tenho a cabeça enfeitada ou não, só Deus sabe.
Uma coisa é certa, não procuro problemas, porque quem procura... acha.
Portanto meu querido, se me contares a estória da carochinha, choro baba e ranho com pena do João Ratão!
Com isto tudo e de forma um pouco "atabalhoada", quero dizer-te que vou acreditando no quero e no que me faz bem.
B.Ju

D.Antónia Ferreirinha disse...

Brincadeira ou por brincar , há que considerar que até é uma realidade.
Por isso : preso por ter cão e preso por não ter, e mais nada.
Rsrsrsrs.
Beijinho.

Jorge Pessoa e Silva disse...

«O ciumento passa a vida em busca de um segredo cujo descobrimento lhe causará a ruína». (Axel de Oxenstiern)

Amiga Ju, estou contigo e não abro. Saloia? Não. Até porque essa tua maneira de ser se prende, seguramente, também com a falta de indícios para pensares de maneira diferente. Acho bonito os elogios que vai fazendo ao teu «mais que tudo». Por isso, duvidar de quê? Da verdade que causará a nossa ruína?

Acreditar é, também, uma forma de felicidade.

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Dona Antónia

Pelo menos vamos brincando e exorcizando os nossos pequenos fantasmas. Porque na guerra dos sexos, o mais divertido é fazer as pazes...rs...

Beijinho

Pax disse...

Há um proverbio qualquer que diz algo neste género:
"Se não queres encontrar, não procures".
Eu acho que quando uma pessoa diz algo e a/o companheiro/a (porque me parece que se está a falar de relações) não acredita ou vê nisso uma segunda intenção, é uma ofensa.
Eu, pelo menos, fico sentida quando falo a sério (o que também acontece:) e as minhas palavras são postas em questão.
É ofensivo e desnecessário.
A vida já é demasiado complicada para ainda andarmos à procura de mais complicações ou palavras falsas. É a minha opinião.
Portanto isso de "porque é que as mulheres nunca acreditam nos homens?" é demasiado generalista e (como tal), não se aplica a todas.
:)
Beijos.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Felizmente que não se aplica a todas Pax. E, por norma, até se aplica em coisas menores, naquelas coisas do dia a dia que, quanto muito, moem, mas não matam.

Nas coisas realmente a sério, eu também fico sentido se a minha palavra não for o suficiente. Porque quem procura, de facto, pode nem encontrar o que busca, mas encontra algo que não deixa de ser negativo, como a quebra de confiança.

Beijinho

blueminerva disse...

Que somos complicadas, lá isso somos meu caro Jorge. Mas não será essa a essência de ser mulher... o facto de não sermos básicas mas complexas só nos torna femininas. É o maravilhoso mundo feminino.
Um abraço

An Ambush of Ghosts disse...

Viva Jorge,
Tá aqui um bom debate sim senhor.
A minha opinião vai na seguinte direcção:
Aprendisagem por osmose, com uns solavancos pela vida fora á mistura.
Muitas aprendem com as mães, a questionar tudo, a procurar coisas q não existem mas livre-se o desgraçado sequer de sonhar nelas pq elas proprias já sonharam; tal como muitos aprendem com os pais, a dar tangas atrás de tangas, e até mesmo as "inocentes" (Não querida !!! Claro q não liguei á tua irmã pra confirmar a data do nosso aniversário!)
Creio que existem dois mundos.
O mundo dos q dão a tanguita inocente, pq são distraidos, e o mundo dos compulsivos com mania q são espertos. O mundo das "vou fazer de conta q não percebi" e o mundo das "percebo mais q a conta".
E depois... creio q tudo tem a ver com o q fomos habituados.
Se o parceiro nos habituou a ser um distraído, um esquecido, uma pessoa q liga pouco a certos detalhes, uma vez q acerte... epah... é no minimo estranho. E vice versa.
Também penso q exista a questão do "fill in the blanks", ele tem a amabilidade de fazer o jantar só pq sim, ela vai pondo uns defeitos e tal a ver se n tão em silencio, creio q tb deve existir casos destes, e depois é como tudo....ou a conversa desenrrola num sentido agradável, e até acaba por ser um carinho....ou não!

Cumprimentos Jorge, e restantes ;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Maravilhoso e fascinante, Bluminerva. Aquele planeta sempre por descobrir. Entrar na cabeça de uma mulher é um dos maiores desafios da história da humanide. Para mais, muitos homens preferem investir em entrar noutra parte do corpo da mulher... rs... rs...

Em compensação, a mulher é muito mais generosa do que o homem e dá-se muito mais.

Como eu costumo dizer, nunca me canso de agradecer a sorte de ter nascido homem. Para, como ser inferior, poder render-me à beleza e ao poder das mulheres.

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva, an amubush

Isto é quase um tratado...rs...

Acho que tocas em vários pontos importantes e a resposta está um pouco nestes e noutros pontos.

A comunicação homem-mulher nunca foi fácil, muito menos linear. Há quem pegue no assunto pelo lado negativo e condene essa comunicação a um instinto de sobrevivência, a uma correlação de forças onde a mulher acaba por levar a melhor. Há que veja pelo lado positivo e coloque a tónica nas oportunidades que este percurso de aproximação confere aos casais.

Importante mesmo é que, afinal de contas, não passamos uns sem os outros

Cumprimentos

Léa disse...

Sim, sim, sim...o segredo é esse!
Nós não falamos a mesma língua. E é aí que está a graça da relação!!
Mas engana-se quem pensa que o homem passa a vida a tentar decifrar-nos.
Sabe aquela frase " Decifra-me ou devoro-te"?
A mulher quer dizer mais ou menos assim..."decifra-me ou devora-me"...rsrsrs
O homem que não é bobo nem nada faz-se sempre de desentendido...rsrsrs

Beijinhos.

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Tens razão, Léa, o homem prefere mesmo devorar. De resto, ele só sepreocupa com as divergências de comunicação quando chega à parte do sexo...rs...

Beijinho

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

vá-se lá perceber a mente feminina!... hehehehehehehehe

Um abraço amigo

TENHO DITO

Jorge Pessoa e Silva disse...

Nem vale a pena tentar, poeta Acácio. Há que aceitar as coisas como elas são e tentar tirar o melhor partido disso.

Aquele abraço