terça-feira, 15 de julho de 2008

Bob Dylan ou José Sócrates?

Acabei de ler um artigo que me conta que o Country Jam, festival anual de música em Grand Junction, cidade norte americana do Colorado, tem um contributo importante na taxa de natalidade daquela cidade, registando-se um aumento de 30 por cento da média de nascimentos nove meses depois.

Em Portugal nunca se fez esse estudo, mas fiquei curioso e acho que os sociólogos se devem debruçar sobre o seguinte fenómeno:

- O arranque do Optiumus Alive coincidiu com o debate do Estado da Nação, na Assembleia da República. Fiquei curioso para saber quem vai vencer, em termos de contributo para a natalidade, este duelo de titãs, de forças completamente antagónicas: a música de Bob Dylan ou os discursos sobre o Estado da Nação?

28 comentários:

Pax disse...

Eu acho que deveriamos reescrever a história utilizando algumas das mesmas personagens.
Eu explico: Convencemos uma cegonha a chocar mas não no ninho e sim contra um fio eletrico, produz-se um apagão geral que impede o visionamento do discurso do dito cujo, metem-se pilhas no rádio para ouvir a música e graças ao escurinho... pois, é isso.
É um trabalho de equipa.
;)
Beijos.

Moon_T disse...

Caro Jorge,
se fosse feito um estudo sobre um consumo de estupefacientes e/ou alucinogenios ainda talvez conseguissem encontrar alguma relação entre o Optimus Alive e o debate na AR.
No O.A. penso que as pessoas tenham ido precisamente para espairecer e tentar abstrair-se do Estado da Nação, em vão obviamente. Eu por mim falo, visto que lá fui e mesmo asim nao me consegui abstrair porque cada vez que ia pedir uma bejeca tinha mesmo de pensar no belo Estado da carteira.
Na A.R. já o caso será outro. Deverá ser uma campanha de acusações e insultos onde se perde a noção por completo do tema a discutir e se passa para dizer de quem é a culpa quando todos contribuiram para o Estado e continuo decréscimo do Estado da Nação. E mais nem bejecas há...
Na melhor das hipoteses lá se espairece a pensar em varias formas de homicidio aos deputados ou, qui ça, em varias formas de suicidio.

Ainda bem que há mais festivais de Verão que debates sobre o Estado da Nação.
Mesmo assim, tendo em conta a acustica da A.R. penso que um concerto , nem que fosse unplugged, de Bob Dylan, servindo o debate como "aquecimento pré-concerto" seria um conceito engraçado. Tendo os intervenientes em consideraçao acho que aumentaria tudo; o consumo de estupefacientes pa aguentar o debate e depois, num estado já de avançado degredo e alucinação, até já a Ferreira Leite parecia gira e aí sim, sempre se aumentava a natalidade. Os frutos é que poderiam vir a não ser dos mais bonitos...tanto do concerto, como do debate.

enfim... já chega de divagaçoes estupidas por hoje.
Abraço



obrigado

Jacinta Correia disse...

Olá Amigo
O Estado da Nação deixa qualquer casal sem a menor vontade de contribuir para o aumento da natalidade, mas ao som do Bob Dylan ... não sei não. Bj gde.

vita disse...

Definitivamente Bob Dylan..
Eu a ouvi-lo não fiz filhos mas fiz aquilo que se faz para fazer filhos.;P

A ouvir o AR a unica coisa que me apetecia fazer era meter uma bomba lá no sitio do debate..loool

Beijos musicais Jorginho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs...rs..rs...


Reconheço que é uma estratégia brilhante, Pax. Se a cegonha não quiser colaborar, eu mesmo me ofereço para o apagão...

De facto, nada como trabalho de equipa... Mas até onde pode ir o trabalho de equipa? rs...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Grande moon_t

Não digas que são divagações estúpidas porque trouxeste a debate muitas e boas ideias... Nos jornais até é costume haver as chamadas "brain storm", em que cada um diz os disparates que lhe apetecer até surgir um ideia brilhante...

De resto, eu também prefiro Bob Dylan

Grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Jacinta...

Temos o mesmo ponto de vista. Por isso, nada como "chamar a música" para nos deixar um pouco mais bem dispostos.

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Vita


A música faz-nos, de facto, muito mais felizes do que os debates na Assembleia da Répública. Aquilo só teria graça se fosse a gente a discursar. E, porque não, a tocar... rs...

Beijos em sol sustenido

Pax disse...

Não querendo desvalorizar-te... mas acho que a cegonha faria um melhor serviço no apagão. Além de terem mais experiência no assunto, voam mais alto...
:)
O trabalho de equipa do governo (por exemplo) é tão bom que nós não conseguimos encontrar um único elemento de quem gostar. Queres melhor que isso?

Jorge Pessoa e Silva disse...

Tens razão, pax, rendo-me à cegonha, mas olha que eu tenho muita experiência em apagões... De vez em quando é cada apagão que só faço asneira... rs..

Quando falava em trabalho de equipa referia-me ao que acontecia no escurinho... rs...

Pax disse...

Eheh, referias-te a equipas de dois?
;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Ou mais, pax, ou mais...rs..

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

bob dylan, meu caro... bob dylan... os debates são bons para curar as insónias. hehehehehe

Um abraço meu caro

TENHO DITO

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Poeta Acácio

Bons para curar insónia ou para ficarmos ainda mais deprimidos...

Grande abraço

An Ambush of Ghosts disse...

Epah... venha o Diabo e escolha....
O Bob Dylan tb é bom p levar com um camião em cima, credo q coisa mais chata.
Então e metermos o Bob e a malta da Assembleia da Republica todos dentro do Parlamento e tocar fogo áquilo? É hipotese válida Jorge?
Ohhh deixa lá....

Cumprimentos ;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva an ambush

Olha que muita gente considera herege o que estás a dizer sobre o Bob Dylan....rs... Não será o meu caso, que não sou um fã incondicional, mas gosto da música do homem e reconheço que maca uma era.

Quanto ao deitar fogo:
- Não resolviamos nada, outros viriam, tão maus ou piores;
- Eramos presos e, nesta fase da minha vida, não me dava muito jeito...
- Eu ainda poderia fazer uns post com humor na prisão, mas ali há muita malta sem grande sentido de humour...

Cumprimentos

Casal Tuga disse...

Bob Dylan, sem duvida! :-)

Bjs & Abraços

Léa disse...

Eu gosto muita da musica Hurricane.
Inclusive estou na fase de ouvi-la umas 100 vezes ao dia
(Eu sou assim, escuto até não poder mais ouvir nem o nome).
Por isso acredito que para aumentar a taxa de natalidade, ela é excelente.
Oitocentos minutos de apagão ao dia seriam suficientes, não? rsrsrs
Beijinhos de furacão ( Plagiando a querida Vita...rsrsrs).

blueminerva disse...

Li algures que o som do Optiumus Alive estava uma merda... é que percebia-se tudo o que o Bob Dylan cantava. Já não há respeito porra!

Jorge Pessoa e Silva disse...

...e muito amor, Casal Tuga!

Beijinho e abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Léa

Gostei desses beijinhos de furacão...rs... Até fiquei com a cabeça à roda... rs...

100 vezes por dia é capaz de ser um exagero, não? A única coisa que eu faria 100 vezes por dia seria... deixa-me pensar... comer doces e dar beijinhos... rs...

beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs...rs...rs...rs...

Gosto muito do teu sentido de humor, blueminerva. Não falta uma para a uma da manhã e não esperava, a esta hora, dar tão valente gargalhada...rs

Beijinho

Pax disse...

"Ou mais, pax, ou mais...rs.."

A minha imaginação é muito limitada...
;)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Não acredito PAX. Se há coisa que eu vou reparando é que imaginação não te falta. Aqui ou no teu blog, que, infelizmente, não tenho visitado com a frequência que gostaria, mas esta é a fase mais complicada do ano no jornalismo desportivo.

Beijinho

Pax disse...

Jorge, eu gosto muito de brincar e quando encontro pessoas como tu, com esse excelente sentido de humor, aproveito :)

A fase mais complicada do ano do jornalismo desportivo é quando os jogadores de futebol (e outros, mas isso agora não interessa nada) começam, finalmente, a sair das piscinas nos resorts das Maldivas?!
:)

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs....rs...

Infelizmente, Pax, não nos calham muitos desses serviços...rs... Tomara eu ir para as Maldivas, o Brasil ou República dominicana fazer as férias dos jogadores. Às vezes ainda calha ir para o Algarve, mas nem sempre é um bom trabalho porque parecemos paparazzi ou temos de andar a mendigar entrevistas e alguns deles a quererem ver-nos pelas costas...rs...

Esta é a fase de contratações e temos sempre de andar a correr atrás de dirigentes, empresários, jogadores, mil telefonemas para tentar sacar notícias... Andamos sempe na corda bamba, tanto podemos cehgar às cinco da tarde com muitas notícias como chegar às 10 da noite e uma página em branco e à espera de ser preenchida...rs..

No mais, eu conto com o teu sentido de humor para dar mais vida a este espaço.

Beijinho

Pax disse...

Pois, eu calculava que tivesse mais a ver com contratações... mas os resorts das Maldivas teriam bastante mais piada :)

"(...)como chegar às 10 da noite e uma página em branco e à espera de ser preenchida...rs.."

Sem querer ofender :), mas isso nota-se também nas notícias de abertura do telejornal. Sabe-se sempre quando não houveram desgraças no país pela notícia de abertura...
:)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Pax, em primeiro lugar tu nunca me ofendes. Mesmo quando és mais irónica, não deixas de ser muito inteligente. Em segundo lugar, em bem prefiro histórias bonitas a desgraças... Mas os dirigentes teimam em armar confusão... Felizmente mudei para um departamento em que lido com clubes mais pequenos e onde tenho liberdade de fazer reportagem, tantas vezes com pequenas/grandes histórias.

Beijinho