sábado, 8 de março de 2008

Dia Internacional da Mulher

A melhor maneira de um homem se lembrar sempre das datas importantes para a mulher ou namorada é... esquecê-las uma vez. Lembro-me sempre disto quando se aproximam eventos importantes, como aniversários ou dias como o de hoje: dia internacional da mulher.
Eu sempre defendi que o maior bluff da história da humanidade - pelo menos o que dura há mais tempo - é o do homem ser o sexo forte. Nunca o foi, não o é, nunca o será. Como uma vez disse o humorista argentino Aldo Cammarota, «quando uma mulher se rende é porque venceu».
Sim, porque nas nossas costas as mulheres contam piadas como estas:
- O que se deve dar a um homem que pensa que tem tudo?
- Uma mulher para ensinar como esse tudo funciona...
- E porque é que os homens querem casar com virgens?
- Porque não suportam críticas...
- E o que têm em comum o clitóris, os aniversários e as sanitas?
- Os homens erram sempre...

O melhor que me poderia acontecer é ter nascido homem. Para poder admirar as mulheres. E se Deus não ficou satisfeito com o primeiro esboço, deve orgulhar-se imenso das mulheres. De resto, a mulher é de tal maneira o ser supremo que, desculpem a expressão, «se tivesse nascido mulher, seria lésbica»

1 comentário:

Germano V. Xavier disse...

Salvemos as mulheres, grande Jorge!
Sem elas o mundo seria um inferno, apesar de com elas também parecer ser...

Gostei do texto, meu camarada.
Grande abraço...

Germano