terça-feira, 7 de outubro de 2008

Mais um dia sem sexo

Como devem calcular, o João Cláudio, a quem enviei a carta aberta que publiquei ontem, mandou-me dar uma curva e mais as minhas reivindicações e, na parte do apoio financeiro que pedi ao Banco Central Europeu, respondeu que não poderia ajudar-me porque eu não sou suficientemente milionário para receber chorudas quantidades de dinheiro em apoios... Paciência. Já que não tive a sorte de herdar um banco ou uma seguradora à beira da falência, espero que me saia (pode até ser mini-saia) o Euromilhões...

O que eu acho engraçado é que os bancos só emprestam dinheiro quando têm a certeza que as pessoas não precisam dele.

DIÁLOGO 1

- Ora bem... Quanto é que ganha?
- Vinte mil euros por mês.
- Que bens tem?
- Duas grandes empresas, três automóveis de luxo, um andar na Avenida de Roma, uma vivenda na Ericeira, casa em Paris, Londres e Nova Iorque e contas na Suíça...
- De quanto é que precisa?
- Um milhão de euros... O puto está a acabar o curso, gostava de lhe dar uma grande viagem de finalistas, mas não me dá jeito mexer este mês nas contas...
- De certeza que só quer isso? Concedido

diálogo 2

- Ora bem... Quanto é que ganha?
- Mil euros
- Que bens tem?
- Um citroen AX de 1995 e uma casa na Amadora. A precisar de obras, sabe...
- De quanto precisa?
- Dois mil euros, só para que deixe de chover lá dentro...
- Nem pense, então a gente ia lá emprestar tão pouco e a quem precisa mesmo dele?

Uma lógica interessante no sistema financeiro é oferecer-se boas taxas de juro a quem tem muito dinheiro e altíssimas taxas a quem... tem dificuldade em pagar...

O que tem tanta lógica como exigir-se que o Nélson Évora faça apenas 10 metros no triplo salto para ir aos Jogos Olímpicos, enquanto eu, com esta barriguinha e tudo, terei de saltar 17 se quiser lá ir...

Surgem todos os dias novas entidades financeiras, que não bancos, a emprestar dinheiro a torto e da direito. Estas, por acaso, até emprestam a quem realmente precisa, mas a taxas superiores a... 20 por cento, mais de o dobro do que os bancos cobram aos clientes que nem lhe interessam... A mesma lógica do queres um chouriço? Dá-me o porco...
No meu dicionário isso chama-se chantagem... E as cadeias estão cheias de gente que andam a extorquir dinheiro às pessoas...

Ah, mas os que foram presos levam pouquinho e vestem-se mal...

Há muito que deixei de me aborrecer com os arrumadores... Tomem lá a moedinha... Vocês, pelo menos, não são hipócritas, sempre fingem que estão a ajudar e tomam conta do carro... Já o João Cláudio e os bancos deste país, só me deixariam estacionar o carro se pudessem ficar com ele...


PS1 - Peço desculpa se vos levei ao engano com o título do post... Mas este foi mais um dia sem falar de sexo... E sem o resto...

PS2 - Por motivos profissionais, é bem provável que só possa responder a comentários por volta das 22 horas

22 comentários:

Moon_T disse...

Caro Jorge

é com muita pena que desta vez estou 100% de acordo ctg.

A definição de roubo devia ser revista...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Grande moon_t

A pena é toda minha... O teu espírito crítico e o teu olhar clínico sobre os meus textos, com saudáveis discordâncias, ajudam a que melhore... rs... rs... rs.... (Sendo que há boas hipóteses de não te estares a referir a isso...rs...rs..)


A definição de roubo deveria ser revista e aumentada

Pax disse...

O roubo só é crime nos casos em que o Estado não consegue deitar a mão à comissão.
Ainda não tinhas reparado nisso?

Quem rouba carteiras na rua só vai preso porque o estado não conseguiu controlar o valor envolvido e não retirou a sua parte.

Quem rouba através de empréstimos divide o lucro com eles e proporciona-lhes uma tentadora fonte de rendimentos. Jamais será crime.

E qual será melhor? A comissão que se retira de um milhão de euros ou a que sai de mil?

Beijos :)

Tretoso Mor disse...

Jorginho,

Já o último prémio Nobel da Economia diz que os bancos emprestam um chapém de chuva quando faz sol, mas tiram-to quando começa a chover!...

Um gandabraço

Márcio disse...

Chantagem??? Na minha terrinha é mais chulisse (com o devido respeito aos profissionais da área).

Será que a tua esposa se cansou de te ver falar de sexo que sempre decidiu voltar com o castigo da abstinência atrás? :)

Patacuadas disse...

Não querendo vir fazer o papel de advogado do diabo, a questão colocada relativamente à concessão de crédito por parte das instituições financeiras é bem mais complexa do que se possa pensar.
Quando um banco concede crédito tem de ter muita atenção ao cliente que está a pedir o mesmo, uma vez que está a emprestar algo que não é seu, logo tem de ser criterioso. Ao contrário do que dizes Jorge, o banco não quer "ficar com o carro para te deixar estacionar", porque esse não é o seu negócio, o seu negócio é a compra e venda de dinheiro. Por isso, o ideal para o banco é que quem pede um financiamento paga sempre a tempo e horas, e podes ter a certeza, que nem o atraso de um dia dia no pagamento da prestação é coisa que interesse muito, mesmo tendo em conta que esse atraso de um simples dia, vai "dar" ao banco mais juros. A verdade é que nem essa situação tem interesse, por isso, quem pede o empréstimo, caso cumpra sempre tudo a tempo e horas, o banco não quer saber onde é a casa, o seu estado ou se tens carro ou não, estas servem apenas como garantia que o banco espera nunca vir a precisar. Dou-te um exemplo que é bem conhecido do publico e está a gerar esta crise financeira. Como foi o caso dos EUA, o problema ali foi mesmo o de ter sido concedido crédito a quem manifestamente não tinha condições para pagar.

Quanto à Euribor e às taxas praticadas por essas financeiras que dão crédito a toda a gente é outra questão.

A Euribor, claramente deveria baixar tendo em conta a actual situação economica.

As taxas praticadas pelas financeiras, mais não são do que uma forma de minimizar o risco, porque ao cobrar juros demasiado altos, vai puder cubrir eventuais incumprimentos de outros clientes e assim manter o equilibrio dessas mesmas empresas. Mas cada um deve ter a consciencia da capacidade que tem para cumprir os seus compromissos. Pensem numa coisa se um banco recusa um crédito é porque na análise feita realmente, estão realmente convencidos que a pessoa não tem condições para cumprir. Se a mesma resposta vem de 2 ou 3 bancos o melhor mesmo é pensar muito bem se quer realmente pedir esse dinheiro.
Pensa nisto ao recusar um financiamento a um cliente é a mesma coisa que a pastelaria que tem os pasteis de belém ou os mil folhas que tanto gostas se recusa a vender-te os mesmos, se o faz quando o lucro advem dessa mesma venda deve ser por algum motivo forte, e se a juntares a essa pastelaria a seguir vais a mais 2 ou 3 e todas se recusam... fiz-me entender melhor?

Peço desculpa por me ter alongado no teu blog, mas acho que era importante esclarecer e dar a conhecer o ponto de vista do outro lado da "barricada", e não não ganho nada a mais por isto antes pelo contrário... lol

vita disse...

Ah eu bem me parecia que o titulo era enganador, até porque tu já não contas os dias sem sexo, era mau demais...looool

De resto querido, os ricos serão mais ricos e os pobres mais tesos, é a filosofia do nosso estimado País.;)

Beijo olhito azul

provocação disse...

Mas pior pior pior, é que foi mais um dia sem sexo :p

Artur disse...

Olás...

Quem anda a pão e água??

P.B. disse...

olá

Pois é, isto anda tudo por ordem da morte...

Poucos e maus empregos, onde nos pagam mal como tudo... Para veres bem, quando falaste aí de um salário de 1000 euros, eu pensei "quem me dera"... :|

Comprar casa, ou aventurar-me a alugar um apartamento? nem pensar, só se fosse uma barraca para montar debaixo da ponte, e mesmo assim, não sei não...

Beijinhos

Léa disse...

As taxas de juros aqui também estão pela hora da morte.
Pelo visto não há para onde correr...só nos resta rezar!
Pelo menos não estamos no olho do furacão.

Beijiiinhos.

Equilibrista disse...

O meu único comentário de hoje é que odeio, mas irrita-me profundamente a forma escandalosa como essas entidades financeiras 'apregoam o seu peixe' a torto e a direito como se fosse a salvação das pessoas para todos os males financeiros!
Tendo sido para mim (digna de um post no meu blog e tudo) aquela que dizia "um sol para cada um de nós!" ou algo do genéro!
E depois, faz-me também alguma confusão como é que as pessoas se "enterram" nesses emprestimos achand realmente que estão a resolver os seus problemas todos com isso! Eu sei que é dificil para algumas pessoas fazer e ter determinadas coisas, que por vezes até são bastante necessárias... mas acho que devemos aprender a nos governar com o que temos e viver a nossa vida de acordo com aquilo que podemos e não como gostariamos que fosse!
Talvez para mim seja facil falar porque nunca senti o meu lar em desespero de causa... mas acho que nos devemos saber gerir aquilo que temos e viver uma vida adquada a isso mesmo!

*

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Pax

Está bem visto... Por exemplo, o Estado rouba-me todos os meses mais de um terço do meu ordenado e é tudo perfeitamente legal... rs...

Beijocas

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva tretoso mor

Tal como seria se dessem preservativos a eunucos... rs... rs...

Grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..


Grande márcio

A abstinência mantém-se... rs... rs... Talvez seja eu que esteja numa fase em que faz de conta que nem sei que sexo existe... rs... rs...

Abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva patacuadas


Eu ficaria escandalizado se a mim a pastelaria me quisesse vender o pastel de nata a um euro e a uma pessoa com mais posses a 75 cêntimos... rs... rs... rs...

É claro que tens razão em várias coisas que dizes, mas eu já estou um bocado cansado desta linguagem e lógica financeira que ainda vai levar a que todo o sistema impluda...

Por alguma coisa aquele indiano (não me lembro o nome) ganhou o prémio Nobel com a criação do micro-crédito... Ele mandou às urtigas as leis económicas e bancárias e emprestou dinheiro a quem nunca reunbiria condições para um banco tradicional emprestar... Começou o seu projecto ao emprestar 134 dólares a uma comunidade muito pobre e hoje o banco gere biliões, ajudando na luta contra a pobreza...

O que a mim me choca, é que a lógica de um banco seja: como eu tenho receio que possas não pagar, porque não és rico, vou obrigar-te a pagar ainda mais... Já se eu achar que vais pagar, porque tens bens e boas fontes de rendimento, eu alivio-te ainda mais a carga...

O que se passou na América foi, também, um abuso... Só não sei as taxas de juro eram ou não aceitáveis quando as pessoas deixaram de cumprir. E, claro, os abusos passaram também por algo que também se passa em Portugal: tentar impingir crédito às pessoas, com publicidade agressiva...

Está tudo errado, a lógica do sistema vai impludir com esse mesmo sistema... Enquanto o ser humano e o sentido de verdadeira parceria não se sobreposer ao negócio de comprar e vender dinheiro, os bancos só arranjam lenha para se queimar...

Quanto às entidades financeiras que emprestam a mais de 20 por cento... peço desculpa se ofendo alguém que até pode trabalhar de boa fé nessa área, mas deveriam ser fechadas por ordem lei... É um roubo que me indigna, até por se aproveitar, precisamente, dos mais frágeis...

Abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...rs...rs..

Viva Vita

Deixei de contar mesmo, para não entrar em depressão... Imagina que eu começava a contar e já ia em 257 dias... Era frustrante, não era? Mais vale nem saber, portanto... rs...

No mais, assino por baixo.

Beiiiiiijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...

Viva provocação!

Estás a ver como foste ao principal? rs.... rs... rs...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...

Viva Artur

Eu ando... Mais a água do que a pão... é cada banhada... rs.... rs...

Abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

p. b.


Haja optimismo, tenho a certeza que mereces muito mais do que os mil euros e vais tê-los, porque vais lutar por isso...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs...rs...r..s..

Viva Léa

Infelizmente, há muito para onde correr... para correr com quem acredita que pode fazer vida pisando-nos a cabeça...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Equilibrista


Às vezes vendem-nos ilusões com tanta eficácia, que as pessoas nem percebem a alhada em que se estão a meter... rs... Como é que eu sei que as financeiras chegam a cobrar 20 e muitos por cento? Porque estudei o suficiente para saber o que é TAEG; porque me dou ao trabalho de ler as letras minúsculas; porque pego na máquina de calcular e multiplico a prestação pelo número de meses... E, sem querer ofender ninguém, há muita gente que é pobre de espírito e/ou de conhecimentos e fica à mercê de exploradores...

Beijinhos