domingo, 14 de junho de 2009

Filmes da minha vida

Fui desafiado por escolher os filmes da minha vida. Não é tarefa fácil, entre tantos filmes. Mas, mesmo com muito de subjectividade, aqui vão cinco filmes da minha vida:

1 – Comer bacalhau estragado faz mal...

Já contei a história há uns meses. Fui a um baptizado e achei estranho ter sido o único a comer o bacalhau. Deixei de estranhar duas horas depois quando tive de ir a correr para a casa de banho. Em vez de sanita, uma latrina, e eu devia saber que quando se está de diarreia, há boas hipóteses de em vez de acertar no buraco da latrina se espalhar merda por tudo quanto é sítio, incluindo as calças. Borrei-me todo e quando fui para me limpar fundiu a luz da casa de banho. Duas horas depois de ter lavado as calças como podia, consegui sair, mas, ainda assim, fui catado: «borras-te todo...», disse alguém, olhando para as minhas calças.

2 – Tenho um filho e não sei?

Um dia fui pôr gasolina, comprei o jornal e paguei. Abri o jornal para ler as gordas enquanto ia para o carro. Entrei e quando vou para dar à ignição eis que oiço um bebé chorar no banco de trás. O que achei estranho, não só porque não me lembrava de ter um filho como porque o meu automóvel é comercial de dois lugares... Depois lá percebi que estava tão distraído que entrei no carro errado e que o meu estava mesmo à frente...

3 – O camacholas

Um belo dia liguei para um colega meu, o Manuel Camacho, que estava atrasado para um festa. Chamei-lhe molengão, ordenei-lhe que mexesse o cu gordo, contei piadas de gosto duvidoso até perceber que estava a falar com o... médico do Belenenses. Camacho Vieira...

4 – No planeta dos macacos

Estava a fazer um entrevista ao então presidente do Sindicato dos Jogadores, José Couceiro. Senti uma comichão no nariz e, discretamente, cocei-o com os dedos. Mas assustei-me quando vi que tinha presente agarrado ao dedo e tudo o que me ocorreu foi passar o dedo pela perna da cadeira. José Couceiro não sei se percebeu, mas se percebeu não disse nada... Mas o macaco ficou lá...

5 – Cauda de macaquinho

Fui a uma casa de banho em Viena, na Áustria, e como sou muito sensível com o meu rabinho, cobri o tampo da sanita com papel higiénico. Limpei-me, saí, andei pelas ruas a visitar os monumentos, até me terem chamado a atenção que tinha uma tira de papel higiénico que saia pelas calças e ia até à sola do sapato. Conclusão: a folha de papel ficou colada à nádega, puxei as calças e nem reparei...


E pronto. Era isto o pretendido, certo? Passo o desafio a quem o quiser apanhar...

38 comentários:

CarlaSofia disse...

Olá Jorginho, essa da tira do papel higiénico está de mais. Vou contar «um filme da minha vida». Sou viciada em baton de cieiro. Tenho de ter sempre um na mala. Um dia estava atrasada para o emprego e quando ia para sair confirmei se tinha o baton na mala. Como não estava, desatei a correr pela casa para o tentar encontrar o mais depressa possível. De repente... bummm! Acordei no chão do hall. O que aconteceu? Bati com a cabeça na parede... resultado: traumatismo craniano e um mês de baixa. Eu posso dizer que já bati com a cabeça na parede, literalmente falando...
beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs...


Viva Carlinha

Conclusão: o baton de cieiro pode fazer bens aos lábios, mas faz mal à cebeça...rs..rs..rs..

Beijinhos

Equilibrista disse...

Olá =)

Já conhecia o filme do camacholas, já o tinhas contado por cá =p
Agora, a que eu mais gostei foi a do filho emprestado, porque era capaz de me acontecer exactamente igual!
Já que estamos numa de histórias, carros e bombas de gasolina, aqui vai a minha!
Outro dia fui encher o depósito com o meu irmao numa daquelas gasolineiras onde o gasóleo é mais barata. O que implica que esteja sempre à pinha, e aquele dia não era definitivamente excepção. Eu esta sentada no lugar do passageiro, e o meu irmão foi colocar gasóleo, depois, quem ia conduzir era eu! Antes de sair do carro, estava a dar uma das minhas músicas favoritas, aqueles que eu, mesmo desafinando, adoro cantar... E foi o que fiz... nem me lembrei e sai do carro a cantar "haleluia haleluia" da Alexandra Burk, com tudo a olhar para mim! =/
Diz a minha mãe que o pior de tudo, ainda foi a cara que eu fiz quando me apercebi da figurinha que estava a fazer... ;)

**

jc disse...

Ó Jorge !

Assim não. Estive eu duas horas deitado numa cadeira de dentista para colocar 3 coroas provisórias, que me vão custar uma pipa de massa, para agora quase se soltarem do maxilar, com tamanhas gargalhadas que me obrigastes a dar... assim, não pá...

Vou esperar pelas definitivas (as coroas) para depois cá voltar.
Não posso arriscar...

Grande abraço

Attitude Problem disse...

Jorge, lamento (apenas) não teres entrado no meu carro... ehehehhehe
(Eu não choraria, muito menos chamar-te-ia de pai!) =))




Beijos. Dos meus.


[Onde costumas colocar combustível no carro?!]

Anónimo disse...

Boas!!! Grandes filmes sim senhor!!!!
Pois eu cá consegui atrasar um avião da TAP lá para os idos de 90 ou coisa assim. Ia eu com os pais e irmã para a Grécia e na escala em Roma tive que ir fazer um chichi a casa de banho do avião. Pois, tudo bem, excepto aquilo estar escuro como o raio e pimba para dentro da sanita deve ter ido 10% do produto, o resto foi para o chão ao ponto de sair por baixo da porta. Enfim, chega a hora de taxiar para a pista e alguém detecta um problema no lavabo do Boeing 727 que nos transportava, é verdade, uma estranha inundação que já chegava ao corredor. Lá trataram eles de chamar a equipa de limpeza e os técnicos para averiguar o estranho fenómeno. Em suma, a minha irmã e a minha mãe riam como perdidas, o meu pai escondeu a cara atrás do jornal e mandava vir com a malta para não dar bandeira e eu olhava para fora muito interessado nas manobras das outras aeronaves, afinal não era nada comigo!!! Abração, Gonçalo

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Equilibrista

Não sei se cantas bem ou mal (acho que bem :-) ), mas pelo menos gabo-te o gosto musical. E se estivesse na bomba de gasolina, haveria de te dar uma moedinha...rs..rs..

Beijocas

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva JC

Desculpa amigo, com os dentes não se brinca. Mas agradece não teres dentadura, caso contrário seria projectada até nem sei onde...rs..rs..rs...

Obrigado e grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs...rs..


Viva Attitude Problem

Eu costumo colocar a agulheta por onde calha....rs..rs... Estou a falar de gasolina, claro...rs..rs..rs...

Se tivesse entrado no teu carro, irias é correr comigo...rs..rs..rs...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Grande Gonçalo

Olha, sempre te podes gabar de conseguires travar um avião apenas com o teu... instrumento... rs...rs...

Grande abraço

Anónimo disse...

Tem graça que também ando a pensar em filmes...mas sou mais básica...meti na cabeça que a Bridget Jones foi inspirada em mim e descobri que o "Pretty Woman" é só um filme...loooooooool...

Bjs
M.S.W

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Joana

Também tens cuequinhas largas? rs..rs..rs..rs...

Pretty Woman é só um filme, mas desde quando a nossa vida não pode ser também um filme? daqueles com finais felizes...

Beijinhos

Anónimo disse...

Também tenho, sim...eheheheh....e já fui "apanhada" com elas...looooooool....o que vale é que me atrapalho pouco com isso, 300000 figuras de idiota depois já tou habituada...eheheheh


Acreditar nisso foi a minha ultima figura de idiota...lol...mas sinto-me melhor por saber que não sou a unica ingénua á face da terra...eheheheh

Bjs
M.S.W

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs...

JOANA

Cruzes, é muito idiota junto...rs..rs... E com manifesta falta de sentido de humor...rs..rs..

Joana, acreditar na felicidade e na sinceridade das pessoas não tem nada de idiota. Não foste tu que saiste mal do filme, mesmo que te tenhas magoado. Poderá até haver um idiota nessa história, mas não foste tu, seguramente.

Sou ingénuo, sim. A roçar a irresponsabilidade. Mas não sei viver de outra maneira. Acredito nos filmes de finais felizes. Choro e tudo... rs... rs... Por uma questão de sobrevivência. A vida seria de todo insuportável se tivesse de viver de hipocrisia, sem acreditar que todos nós temos direito a um final feliz. Não tenho, pois, mérito nisso. É mesmo uma questão de ter uma razão para me levantar todos os dias.

Beijinhos, em nome de todos os que acreditam em ti.

Dri Viaro disse...

Passo pra conhecer seu blog, e desejar boa semana

bjsss

aguardo sua visita :D

Attitude Problem disse...

Provavelmente correrias tu comigo... visto que esses olhos já assustaram um ladrão! =))




Beijos.

Anónimo disse...

Sentido de humor nunca me faltou...;)Preciso dele para me levantar da cama todos os dias...:)

Não te esqueças que sou uma estranha pessoa em estranhas circunstâncias...eheheheh...pode o Tal não ser um idiota...loooooool...talvez até exista aí uma lógica que a minha ingenuidade ( a roçar a irresponsabilidade também...;))conhece mas não queria ver...:)As pessoas são sinceras quando acreditam no que dizem...depois começam, talvez, a acreditar em coisas diferentes...:)A sinceridade mede-se quando se sente, a verdade apenas surge com o teste da realidade...Não desculpabilizo ninguem, tenho apenas consciência que não fui nem sou perfeita...aliás, sou tudo menos tarefa fácil...looool...

Bem, continuo igual a mim...eheheheh...estranha, incontinente verbal e viciada em gomas...no harm done...looooool...e a acreditar nas pessoas, ingénuamente a acreditar e a ver encantos nelas...lol...e agora vou ver o Dirty Dancing a ver se mudo de um registo de filme piroso para outro ainda mais piroso...loooool...it takes two idiots to tango...eheheheh

Bjs
M.S.W

P.B. disse...

Olá Jorge, já há um tempinho que não passava cá!

Filmes da minha vida?

Hum... o mais recente... Entreguei carta de demissão e passados 15 dias caí com um jarro de vidro na mão e cortei-me em três sítios no braço, com direito a pontos e tudo! rsrsrs


Gostei particularmente do teu suposto filho... Consegues ser ainda mais distraído que eu... rsrsrs

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Di Viaro

Grato pela visita. De coração. Gostaria que fosse apenas a primeira de várias. Entre, «a casa é de pobre, não vai reparar», mas aqui «o tira gosto», que é como quem diz, o humor, não vai faltar... rs... rs..

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..rs...


Viva Attitude Problem

Cruzes, mulher, fiquei com o queixo no chão por te lembrares disso... rs...rs..rs... Se bem que, hoje, pensando bem, talvez tenha sido mesmo a minha cara tipo surpreso/aparvalhado a assustar o ladrão... rs... rs... rs...

Beijocas

Jorge Pessoa e Silva disse...

Joana


Estranha pessoa em estranhas circunstâncias? Não te conheço o suficiente para ousar descodificar como te defines, muito menos para teorias freudianas, catesianas e outras anas que tais...rs..rs..rs..

Sei que a experiência me diz que estranha ou quer dizer diferente ou temperamental e nenhuma delas te diminui, quanto muito te torna difícil de aturar ...rs..rs..rs..rs...

Circunstâncias estranhas? Amiga, até o nascimento é uma circunstância estranha: uma mulher de pernas abertas a gritar o mais que pode, uma pessoa aos gritos a dizer frases estúpidas como "acalme-se", um pai a assistir ao parto e a cair redondo no chão porque não aguenta as emoções, um médico a agarrar pela cabeça de um bebé e a puxá-lo para fora como se não houvesse amanhã; uma palmada no rabo do bebé para ele chorar; a cara meio aparvalhada da mãe, entre o alívio das dores que passam e o babar-se com um ser que vem sujo e com pele enrugada...rs..rs... Depois, a tendência da vida é as circunstâncias estranhas se acentuarem... rs... rs...

Agora, assino por baixo a excelente reflexão que também me obrigaste a fazer sobre a diferença entre sinceridade e verdade. E como uma nem sempre tem a ver com a outra. Mas há uma verdade da qual nunca poderás abdicar e que não depende de sinceridades: a de seres fiel a ti própria e a da dignidade intrínseca que tens como ser único e irrepetível, como interpretação única do universo.

Olha, a seguir não te esqueças de ver o Oficial e Cavalheiro.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva P. B.

Mais dois ou três dias de ausência e iria procurar-te para te chatear...rs..rs..rs..

Achas que a demissão teve algo a ver com a jarra? Mas essa não era para mandar para cima da cabeça do ex-chefe? rs..rs..

Beijinhos. E um abraço para quem sabes

Afrodite disse...

Olha...a minha religião não me permite contar os filmes todos mas já sabes alguns ehehehhe ;). Já os partilhei e olha que temos em comum filmes de cócó :)! É a vida é a vida...os bolos dão cabo do filme a uma pessoa :)!

Abreijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs...

Viva Afrodite

Olha, eu como ex-quase padre dou-te uma bula para poderes contar esses filmes sem seres penalizada...rs..rs..rs...

Beijocas

Anónimo disse...

Jorge:

Eu sou uma pessoa simples com tendência para o pragmatismo...loooooooooool.......Esquece o que te diz a experiência....looooooooooooooooooool.........a minha vida é estranha, eu sou estranha e tenho uma estranha profissão...isso é que dificulta aturarem-me...bem...ser temperamental também...ou volátil...quiçá...eheheheh....felizmente aturam-me na mesma, só não conseguem namorar comigo...ahahahah

Foi a primeira vez que meti essa reflexão em palavras...foste o contemplado...eheheheh...

Tenho mesmo que ser assim que não sei ser de outra forma...posso disfarçar mas que me interessa que gostem de mim se for apenas o meu disfarce/personagem que conseguem ver? Passava a ser uma fraude...;)

Bjs
M.S.W

Attitude Problem disse...

Querido Jorge, hoje certamente que podes rir do sucedido! ;))

Relativamente aos filmes das nossas vidas, o melhor de todos da minha, foi no dia em que casei... pois o homem que me colocou a aliança no dedo chamou-me de Glória quando o meu nome nada tem a ver com orações! =))
('Aceito-te a ti Gló.......')
ahhahahhahah




Permite-me um beijo.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Joana

Já esqueci o que me diz a experiência, que também não é tão grande assim... rs...rs...

Simples e pragmática parece-me bem, simples e desastrado, como eu, já não casa tão bem...rs..rs..

Estranha profissão? Estranho é quem te julga de fora. E folgo em saber que não és fraude...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Attitude Problem


Li um dia que se tens a noção que um dia te vais rir de algo que te está a acontecer, porque não começar já a rir?

Em relação ao dia do teu casamento... cruzes, acho que não iria haver núpcias por uns bons tempos... rs... rs...

Beijocas

**laura** disse...

Olá Jorge!
E eu a pensar que sou distraída... é frequente passar por pessoas que conheço, e "olhar e não ver" - isto é, como não estou a contar encontrar essa pessoa, não vejo mesmo lol e depois pensam que eu tenho a mania eheheheheh
Já me aconteceu dirigir-me a um determinado parque de estacionamento e ao chegar lá e não ver o carro, lembrar que afinal não foi ali que o estacionei. Já me aconteceu virar-me para uma mulher num supermercado a perguntar o que achava de determinado artigo... só percebi que a mulher não era a minha mãe quando, face ao silêncio, olhei para ela e vi-a com cara de quem está a pensar "de onde saiu esta maluca?".
Mas os meus maiores filmes aconteceram mesmo ao volante do velhinho opel corsa cá de casa... desde ter o carro cheio com my dear friends e andarmos às voltas à procura do caminho certo (há relatos de algumas delas que viram a parede demasiado perto...) e irmos parar ao mesmo beco sem saída vezes sem conta... ou uma das mais vergonhosas situações... é preciso meter gasolina, lá vou eu no corsinha à BP com minha best friend e não percebi que o tampão ou lá como se chama não saiu direito e então ao começar a meter a gasolina aquilo saltou tudo para trás, fiquei com as calças com um doce perfume a gasolina... E nem vou contar a história do travão de mão, gozam comigo até hoje...

eheheheh
Beijinhos **

**laura** disse...

Mais uma que me lembrei... Não sei que idade tinha, era bem pequenita. Sábado ao fim do dia e ia com os meus pais à missa... e lá vou eu a olhar para o chão ao lado do meu paizinho (sempre fui timidazinha, que vergonha ...) quando de repente fez-se uma luzinha na minha cabeça: "ui, o meu pai não usa sapatos destes" (lembro-me perfeitamente que eram uns sapatos abertos pirosos!)... olhei para cima meia assustada e percebo que efectivamente aquele homem era um completo desconhecido. Parei, deixei-o seguir, rodei (literalmente, força no calcanhar e roda para trás) e só me lembro de procurar os meus pais que estavam ao longe a apreciar a cena e a rir-se da minha figurinha... Tão pequenina e já a fazer figuras tristes! eheheh

**

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Laurinha amiga

Trato-te com diminutivo para que não me leves a mal o comentário que vou fazer, sabendo tu que estou sempre na palhaçada.

Se não consegues que o tampão saia direito, não te admires de arranjares problemas... rs...rs...

Beijinhos, distraída... rs...

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Laura

Espero que tenhas crescido e não faças confusões deste género... rs... rs... Nomeadamente com um namorado...rs..rs...rs... É que o legítimo poderia não ficar atrás a rir-se... rs... rs...

Beijocas

P.B. disse...

A ausência no meu blog era ainda mais longa que no teu...



A jarra foi um pequenino acidente domestico, mas segundo o meu ex-chefe foi castigo pelo meu despedimento!


Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

:-) Eu sei, P. B.

Ok, noto que talvez nutras simpatia pelo teu ex-chefe. Mas olha, o castigo também não foi muitio grande, a ponto de te teres de te arrepender de teres saído...rs..rs..

Beijinhos

Anónimo disse...

É minha impressão ou dos 5 filmes da tua vida uns 3,5 metem merda?
:D
Sofia

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs...

Viva sofia

Fiquei curioso por saber quais os posts 1,5 que não metem... rs..rs..

Beijocas

Anónimo disse...

Pois, agora que falas nisso... realmente é um tema com grandes hipóteses de ser multifacetado por ti :D :D :D

Sofia

Jorge Pessoa e Silva disse...

Sofia


Pois, agora que falas nisso...rs..rs..

Beijinhos