quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Ron Jeremy, meu herói!





E pronto, lá acabou mais uma Feira Erótica do Porto, que não percebo porque se chama assim já que teve lugar em Gondomar. Dizem as más línguas que a escolha não podia ser mais acertada, já que por lá existe muita... pornografia, mas eu nem comento. Sempre aprendi que as opiniões são como os órgãos sexuais; cada um tem o seu e quem quiser dá-los que os dê...

Eu ainda estive para ir à de Lisboa, como jornalista. Ao que perguntam vocês, com a sagacidade do costume: o que faz um jornalista de desporto numa Feira-Erótica? A organização também estranhou. Ao que respondi que se no sexo se fala em "maratona", "bolas", "chuta aí", "massagens", "malabarismos" ou "vou aparar-te a... relva", então faz todo o sentido lá estar um jornalista do desporto...

Mas não fui porque estou desiludido com o caminho que a pornografia e o sexo comercial tomou. Vejam bem: eu vi a minha primeira Playboy aos 15 anos; a minha primeira revista "Gina" aos 17; o meu primeiro filme pornográfico os 19; perdi a virgindade aos... (curiosos, vocês...)

No meu tempo, os filmes pornográficos - preparem-se para o que pode soar a heresia - faziam um esforço para apresentar um argumento...Sei que custa a acreditar, mas cheguei a ver filmes com cenas em que os actores demoravam mais de cinco minutos até se despirem para o sexo propriamente dito!

Já hoje, quando o realizador diz acção, é acção mesmo... E cenas enlatadas e intermináveis, com a maior concentração de silicone por metro quadrado. Cruzes, perdeu a graça toda...

Para mais, o cinema pornográfico era mais "democrático" do que o outro, dito sério... Neste, Tom Cruise dava o salto em Top Gun; Robert Redford sufocava corações em África minha; apenas dois exemplos de que só as caras bonitas e corpos bem feitos tinham acesso ao estrelato.

Já na indústria pornográfica, a maior estrela masculina de sempre (hoje produtor) dava pelo nome de Ron Jeremy... Um homem gordo, feio, cheio de pelos no corpo, de bigode horrível, e que fez sexo com milhares de mulheres bonitas.

Eu também era gordinho, como muitos. Branquinho, carinha de anjinho barroco. Tive acne, sardas, enfim, não estava entre os mais populares na minha adolescência e juventude... E para a maioria silenciosa que rogava praga aos bonitões, Ron Jeremy era um herói. Se ele era a maior estrela masculina, havia esperança para todos nós...

Até nos títulos dos filmes a coisa entrou na vulgaridade. Hoje é comum lermos títulos como "arrebenta-me a bilha"; «ninfomaníacas e tarados"; ou "quanto mais levas, mas gostas"...

Já Ron Jeremy entrou em filmes como "A perseguição"; "Teoria da Janela", "o galã, a prostituta e o rabi..." ou "orgazmo"

31 comentários:

Anónimo disse...

Caro Jorge, quero deixar aqui a minha satisfação pelo seu regresso, é que já por cá fazia falta. É bom ter de volta, aquele que se transformou no meu blog favorito. Um abraço e que tudo corra bem por Luanda. Gonçalo

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Gonçalo

Obrigado por tudo. É bom saber que continuas por aí.

Abraço

Attitude Problem disse...

Eu já tinha saudades de te ler!!! :))))))

Beijos. Muitos.

vita disse...

Porra oh olhito azul até me assustei com a foto.;)

Sim, tens razão, antigamente os filmes porno tinham mais "conteudo" ou seja, ainda não existia o viagra, logo demoravam mais tempo aquecer a "coisa" e entretanto tinham de arranjar argumento.;P

(Perdeste a virgindade aos...quantos? conta-me tudo)

Beijo querido

leo disse...

... es cá dos meus, jorge .... outros tempos.... eram filmes.... ainda não havia cds, dvds ou internet....era o começo dos xutos .... era a emmanuelle (que por acaso estão a dar os filmes no hollywood) .... era, era, era ....

.....feldra-se! já parecemos dois velhos a falar!

...felizmente que hoje ainda é ....é .....é

abraço

Pearl disse...

Voltaste! que bom!!

De facto o tipo é repugnante!

beijinho

Luxúria x Tentação disse...

Senti falta do menino. Da animação. Da cultura. Da personalidade!
Tudo de bom.
(E a feira foi... agradável!)

*Beijo*
Tentação

Equilibrista disse...

Ola Jorge =)

Pois, pois... com que então já te querias infiltrar na feira Erótica do Porto! =)

Pois bem... feiras à parte, e já que não dizes quando é que perdeste a virgindade, podias dizer pelo menos com que idade começaste a namorar com a tua esposa, não? Pelo menos já ajudava ao CV ;)

De resto, tenho a dizer que os títulos antigamente era bem mais produzidos do que agora ;)

**

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Attitude Problem

E eu também já tinha saudades das tuas visitas.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs...rs...rs..


Viva Vita

Curiosa a menina... rs...rs..rs... Olha, é uma questão de ir fazendo contas...

De facto, se aquele homem da foto ainda hoje é considerado a melhor estrela masculina de sempre... é porque há esperança para todos...rs..

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Grande Leo


Eu sabia que me ias entender... rs..rs.. E até me esqueci de falar da Emmanuelle ou o do escândalo que foi, há uns 20 anos, a televisão ter exibido Império dos Sentidos ou Pato com Laranja...rs...

Grande abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..

Viva Pearl


Repugante, mas a maior estrela sexual de sempre. E o porquê deveria ser estuado. Par muitos como eu, foi como idsse: se ele se safava assim, havia esperança para todos... rs...rs..

Beijinho e obrigado

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Tentação


Obrigado pelo carinho e pelos elogios. Só acho que exageraste naquela parte da cultura...rs..rs.. Mas, pensando bem, todos os nossos comportamentos são actos culturais, pelo menos assim o penso e muito discuti isso nas aulas de filosofia...rs..


Foste à feira?! Uauuu...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Equilibrista


Não contes a ninguém, mas a Feira era apenas uma desculpa para cravar bolos numa certa pastelaria. ..rs..rs..r.s..rs..rs..rs..

Uma só pista, mais de 20 e menos de 30. E já chega...rs...rs...rs..


A minha tese passava muito até pela "ingenuidade" que havia na sociedade. Mesmo no sexo.

Beijinhos

Equilibrista disse...

Não sei de que bolos tu falas... Mas eu conheço uma pastelaria que vende é uns lanches mesmo bons... rsrs... !!! ;)

E pronto, a minha bola de cristal disse-me que perdeste a virgindade 7 meses depois de namorares com a tua esposa... será que ela acertou? E mais... eu diria ainda que foi depois dos 20 e antes dos 28 (ja encurtei 2 anos) =)

Mas vá não precisas de dizer ;)

**

P.B. disse...

Olá Jorge...

Hum... desconheço o teu herói... só mesmo tu para te lembrares de tais comparações... rsrsrs

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..

Lanches, EQUILIBRISTA? Eu é mais bolos, mas pode ser...rs...rs...

Quanto ao resto, digamos que a minha primeira reacção foi «emprestas-me a bola de cristal para ver se me sai o Euromilhões?» rs.. rs... E mais não digo...rs...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva P. B.


Não perdes nada por o não conheceres..rs...rs.. Digamos que ele foi uma referência para os rapazes que, como eu, andavam longe dos modelos de homem que faziam suspirar as raparigas...

E, falando a sério: viste a fotografia do Ron Jeremy e alguma vez te passaria pela cabeça que é o maior mito masculino da indústria pornográfica? Ele desafiou tudo e venceu. Um herói improvável, goste-se ou não de pornografia. Ou como em todas as áreas podemos aprender lições. Até na pornografia...

Beijinho

P.B. disse...

Olá Jorge...

Sinceramente, na maior parte das vezes parece-me que exageras nas tuas auto-descrições... :D

Sim, concordo contigo... O homem conseguiu mesmo surpreender. Mas muitos outros por não conseguirem entrar no mundo do cinema, dito normal, enveredaram pela pornografia como divulgação dos seus dotes artisticos (isto soa tarado rsrsrs)

Beijinhos Jorge

Equilibrista disse...

Sim Jorge, lanches... :) mas bolos também se arranja qualquer coisinha... mas a especialidade são mesmo os lanches =)
Eu ainda não virei adivinha, fica descansado... tenho é uma memória que de vez em quando lá me vai ajudando, e há sempre uma coisa chamada registos eheh =)
Já agora, concordo com a P.B. acho que exageras nas tuas auto-descrições... o que denota que afinal parece que não sou só eu a insegura aqui do sítio! Eu aprendi que ninguém é perfeito, mas temos sempre a oportunidade de valorizar aquilo que temos de melhor ;)

**

Lis disse...

Oh my god!!!

O calor daí anda a fazer-te mal... ja viste o choque que foi abrir o teu mail pa saber noticias tuas e deparar-me com essa foto????

lol

Ainda bem que tudo está a correr pelo melhor!! Muita sorte e muita força!

Beijinhos!

paulalee disse...

Haha... Lembrei de uma coisa engraçada.

Algum tempo atrás, coisa de uns 4 anos atrás, começou a surgir nas "casas de convívio" a "moda" do filme pornográfico.

Bem, vira e mexe é assim, sempre está surgindo alguma "moda". A coisa acontecia dessa forma: além de todos os seus "predicados", a garota se divulgava também com o "diferencial" de ter vídeos eróticos em casa. As novas modas acabam por influenciar todo o sector, porque uma faz e dá certo, outra faz também e, de repente, todos os clientes nos ligam a pedir pelo mesmo. De repente atendia o telefone e o homem perguntava: "Tens vídeos?"

Eu, do meu lado, acho que, se podemos fazer alguma coisa "ao vivo e a cores", vídeo pra quê? Afinal de contas, o homem não vem aqui para ver televisão.

É verdade que, a princípio, impliquei com a ideia. Naquela altura, em que atendia por tempos de meia hora, receava que os homens quisessem fazer sexo o tempo todo do filme, ou pior, fazer exactamente como nos filmes, esquecendo que nas filmagens há cortes, começa de novo e continua, e fica parecendo que o cara esteve ali o tempo todo a "bombar".

Mas era uma coisa interessante, até que era. Além de ser mais uma opção de entretenimento, dava aquele "clima de motel".

E pronto, até que era algo, digamos assim, "inofensivo". Porque, afinal de contas, o propósito era bem outro. O homem vinha, a mulher deixava a tv ligada com algum filme pornográfico, o homem se excitava ainda mais que o costume, logo não demorava tanto a ejacular, este era na verdade o objectivo principal, o homem chegar à ejaculação de forma mais rápida sem dar tanto trabalho à profissional do sexo.

Como eram muitos os telefonemas pedindo pela mesma coisa, resolvi alinhar, e lá fui eu comprar um filme pornográfico.

Mas o engraçado é o seguinte: as pessoas pensam que tenho uma colecção de filmes pornográficos em casa.

... E, até hoje, só tenho um, aquele mesmo que comprei há 4 anos atrás.

Escolhi um vídeo que pudesse ter tudo o que precisava. Não é um filme inteiro, mas um filme com várias cenas de pessoas fazendo sexo. Não ia comprar um filme com "cenas esquisitas", afinal de contas o meu intuito não era que o homem depois viesse com a ideia de fazer aquilo que viu na tv comigo...

É um filme cheio de sexo, onde, a única coisa que há de mais diferente é uma parte em que três mulheres fazem sexo juntas.

As pessoas então costumam me perguntar: "Mas Paula, como você consegue trabalhar assistindo há anos o mesmo filme?"

Facto nº 1: Para quê comprar outros se são todos mais ou menos iguais?

Facto nº 2: Quem disse que eu quero assistir filme? O filme não é para mim...

Facto nº 3: Se ia "assistir" ao filme com o mesmo cliente numa próxima vez, bastava adiantar a cena, e colocar numa cena que ele "perdeu" no encontro anterior por ter ejaculado antes. Pois é, um filme só bastava.

Hoje ainda uso os filmes de vez em quando. É raro, bem raro, mas de vez em quando uso, em casos especiais quando algum "cliente" diz que gosta. Eu já conheço a cena e fico ali me segurando para não contar o final do "filme", risos.

Mas ando me fazendo esta promessa: um dia tomo vergonha na cara e compro uns filmes novos.

paulalee disse...

Não gosto de filmes pornográficos, sinceramente. Será que encontro os filmes "antigos" que você indicou?

Eu gosto é de filme erótico, isso gosto sim.

blueminerva disse...

Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti! Voltasti!


beijocas muitas e aquele abraço

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..

P. B.

Quando se fala com elevação sobre as coisas, não é aos ouvidos que pode soar a tarado, é à mente de quem ouve...rs..rs... Por isso, poucas coisas me soam a tarado, tirando fenómenos que já entram no domínio do tratamento psicológico...rs...

Digo também que existe uma diferença entre realismo e falta de auto-estima. E eu sei que sempre fugi um pouco as padrões de beleza e sensualidade que já vigoravam na minha juventude.... rs...rs... Se sofri com isso? Numa ou outra vez sim, mas felizmente nunca me senti discriminado. Talvez porque já na altura era meio palhacinho, gostava de fazer rir e tinha sempre uma palavra amiga para todos, sempre fui popular. Só que as mulheres, na minha juventude, preferiam dar-me festinhas na cabeça e chorar no meu ombro do que... namorar comigo...rs...rs...rs... Mas, acredita, não ficou nenhum trauma nem nenhuma crise de confiança.

Mas houve algo que aprendi muito tarde: a atitude faz mais por um homem do que o seu aspecto físico e faz com que fique mais perto de conquistar as mulheres que verdadeiramente interessam. Aquelas que não escolhem em função, exclusiva, da aparência.

E sim, é verdade, houve quem se aventurasse num mundo cinematográfico onde os requisitos eram outros...rs...rs..

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Equilibrista


Eu às vezes esqueço-me de dizer que quando falo para os outros não falo apenas... para os outros. Até por ter esta mania de ler em voz alta enquanto vou escrevendo, o que quer dizer que também falo para mim.

Crises de auto-estima todos temos. Medos e inseguranças também.

Mas neste caso concreto, não é um problema de auto-estima. Como respondi à P. B., é de puro realismo. Quem me visse há uns 20 anos, veria que eu estava longe de ser um top model... rs...rs... Repara que eu utilizei o passado e até parece que agora sou... rs...rs... Ok, vistmo-me um pouco melhor...rs...rs.., já não tenho tantas borbulhas e as sardas até parece que desapareceram... rs... Digamos que mudou a atitude e eu ter até aprendido a valorizar as opções das mulheres. Elas, pelo menos as que valem a pena, afinal não nos julgam apenas pelas aparências.

Eu não tenho contas a ajustar com o que não vivi na minha adolescência e juventude. Gosto é de me rir de mim. Com realismo. O humorista (presunção...rs...rs..) faz as melhores piadas sobre aquilo que conhece melhor. E eu, para o bem e para o mal, ainda sou a pessoa que conheço melhor...rs..rs..

Beijinhos

PS - Sejam, pois, lanches, que também é uma delícia...rs...rs..

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..


Viva Lis


Olha, o calor a sério é só a partir do final da próxima semana, mas já devo estar em stress pré-traumático...rs..rs...rs.. Por outro lado, vindo de mim o que esperavas? rs..rs..

Beijinhos e obrigado

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..rs..rs.

Viva Paulinha


ahhhhhhhh, descobri! Eu bem que andava intrigado com os anúncios a divulgar a existência desses vídeos... E eu me perguntava: mas o homem quer sexo ou ir ao cinema? rs..rs...rs.. Mas pronto, encontrei uma explicação plausível.. rs...rs... Homem gosta mesmo de ser enganado, não gosta?...rs..rs...rs...rs..

Olha, Paulinha, esses filmes que comecei a ver no final da década de 80 tinham a vantagem de serem até algo naifs...rs..rs... Procuravam um enredo, tinham pouco trabalho de produção, não tinham a preocupação de fazer durar as cenas de sexo até ao limite do "nunca mais se despacham?"... rs... rs... As actrizes eram mais reais, tinham muito menos silicone, eras menos musculadas e você acredita que até tinham pelos púbicos? rs..rs..rs...rs...rs..

E claro, a industria era menos massificada e tudo o que é demais também enjoa...rs...rs... Mesmo no sexo...rs...rs..

O erotismo perdeu-se por completo. E eu estou de acordo quando realça o papel do erotismo. Porque, no fundo, o mais afrodisíaco dos nossos órgãos ainda é o... cérebro...


Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva bluemineva


Deixaste-me corado, rapariga...rs...rs...

Obrigado amiga, sabe tão bem...

Beijinhos grandes, Pérola do Atlântico

Lize disse...

Já uma vez discutimos os maus caminhos por onde esta "arte" da pornografia está a ir :P E concordo plenamente contigo, embora tenha a dizer que fico feliz por o Mr. Jeremy ser só e apenas realizador nos tempos que correm. Acho que isso aí foi muito bem... modernizado, com os tempos ;P


Beijocas :)

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..

Viva Lize

Aquela figurinha não existia. O que ele tinha de jeito era... era... bem, a ferramenta de trabalho.... rs... rs...

Beijinho