sábado, 21 de fevereiro de 2009

Chave do Euromilhões

E eis um momento raro neste blog, uma espécie de ensaio experimentalista. Eu avisei, na hora do regresso, que de quando em vez sentia vontade de vos falar ao coração. Por isso, quem está em pulgas para saber em que ponto deste post eu vou subverter tudo e entrar na palhaçada, desengane-se.

E se eu vos dissesse que conheço um funcionário da Santa Casa da Misericórdia que anda desesperado atrás de uma pessoa para lhe entregar um primeiro prémio do Euromilhões e que essa pessoa se recusa a recebê-lo e ainda goza com o funcionário?

De certeza que vocês levariam as mãos à cabeça e dariam uma resposta do género: não sei quem é mais estúpido, se o funcionário se o vencedor do Euromilhões. Mas eu é que não corria atrás dele. Não quer, adeuzinho. Que se dê o prémio a quem realmente precisa e o quer...

Sei que ninguém acredita que esta situação se tenha passado. Mas eu digo que se passa TODOS os dias à nossa volta e muitas vezes até connosco. Basta imaginar que o primeiro prémio do Euromilhões é cada um de nós. Faz mais sentido?

Custa-me ver amigos meus sofrerem tanto por relações que fracassaram, muitas vezes por manifesta culpa do parceiro. Custa-me ver amigos com o primeiro prémio do Euromilhões no coração, desesperados por o entregarem a quem o tratou mal ou ao primeiro que aparecer.

Por norma, nunca ninguém perdeu um parceiro. Perdeu uma ilusão de relação que, afinal não tinha. Perdeu alguém que a/o fez sofrer e desprezou esse Euromilhões. Num raciocínio frio, não perdeu absolutamente nada e até se poupou a decepções futuras.

Eu aconselho a todos os meus amigos o exercício matinal do espelho. Na primeira ida à casa de banho, olhem no espelho e apresentem-se à pessoa que é, para cada um de nós, a mais importante do mundo. E convençam-se que para ganharem esse Euromilhões, terá de ser alguém que se esforce mesmo muito e vos trate da única maneira que vocês merecem.

Fácil de falar? Claro que é...
Difícil de cumprir? Todos sabem que sim.

Afinal, graças a Deus, somos todos humanos. É por isso que gosto tanto de vocês.

PS1 - Façam mais um favor a vós próprios: não se culpem em demasia pelas fraquezas. Não ajuda nada. Concentrem-se apenas no supremo gozo das vitórias que chegam a parecer impossíveis, alcançadas depois de tantas vezes que cairam e se levantaram. É nessa altura que as nódoas negras se transformam em medalhas.

PS2 - Atenção que eu estive a escrever para mim também...

PS3 - Para que conste, eu acho mesmo que cada um de vós é um primeiro prémio do Euromilhões.

30 comentários:

CarlaSofia disse...

Meu querido Jorginho,
não te assustes com o tamanho do meu comentário... mas o teu post fez-me lembrar uma história que conta que quando Deus contemplou a sua criação do universo e da natureza sentiu-se sozinho. Por isso, resolveu criar uns seres sobrenaturais para lhe fazerem companhia. Só que estes seres depressa encontraram a chave da felicidade e fundiram-se com o divino, o que fez Deus sentir-se novamente só.
E Deus reflectiu. Teria de criar outros seres que não encontrassem a chave da felicidade, pois se a encontrassem depressa se fundiriam com ele e mais uma vez ficaria sozinho. Esses seres seriam a Humanidade. Só que havia ainda uma questão para ser resolvida: onde esconder a chave da felicidade para que o homem não a encontrasse assim tão facilmente?
E a história diz-nos:
«[Deus] pensou ocultá-la no fundo do oceano, depois numa caverna nos Himalaias, depois noutra galáxia. Mas estes lugares não o satisfaziam. (...) Sabia que o ser humano acabaria por descer ao oceano mais abismal e que a chave não estaria segura aí. Também não estaria segura numa gruta dos Himalaias porque, mais cedo ou mais tarde, o Homem escalaria até aos cumes mais elevados e encontrá-la-ia. Nem sequer estaria segura noutra galáxia, já que o Homem chegaria a explorar os vastos universos. (...) E quando o Sol começa a desvanecer a bruma matutina com os seus raios, de súbito ocorreu-lhe um lugar no qual o ser humano nunca procuraria a chave da felicidade: dentro de si mesmo. Criou então o ser humano e, no seu interior, colocou a chave da felicidade.»
Por vezes esquecemo-nos que a chave que abre todas as portas reside em nós mesmos.
Um feliz fim de semana
beijinhos cósmicos dos universos questionaveis

Lize disse...

:) Este post era perfeito para ser imprimido e colada ao lado do tal espelho. Começávamos todos o dia bem melhor :)


Beijocas

vita disse...

Oh tão querido, vê-se bem que estudaste para padre.;P

Eh eh

Olhito azul mailindo, tu és o euromilhões de muita gente, eu incluida, é um prazer chamar-te amigo.;)

Beijo querido

P.B. disse...

Olá Jorge...

Pois, é como dizes, às vezes torna-se muito fácil falar... Nem sempre é fácil gostarmos de nós próprios. Concordo contigo quando dizes que não se perde um parceiro, mas a ilusão de uma relação, mas essa "perda" também leva à perda da auto-confiança, do amor próprio.
Como se costuma dizer se nós não gostarmos de nós próprios como haverá alguém de gostar. Mas ajuda tanto ter alguém que nos faça sentir amados.
Além de cada um ter o primeiro prémio do Euromilhões dentro de si mesmo, eu acredito também que temos o prémio em cada uma das pessoas que nos faz sentir melhor connosco.

Beijinhos

Léa disse...

Olha aí meu Euromilhões!!!
Você voltou e eu nem sabia!
Minha vida anda muito corrida, não tenho tempo pra muita coisa mais...eu mudei de emprego...preciso te contar depois...rsrsrs
Beijinhos e estou muito feliz por saber que esta de volta!!

Jorge Pessoa e Silva disse...

Obrigado Carla Sofia. Por alguma coisa Deus é Deus, é por ser genial a ponto de saber onde nos esquecemos de procurar a felicidade. Só não acho que Deus seja perfeito, porque ninguém perfeito faria um esboço dessa humanidade e só depois a perfeição, a que decidiu chamar... mulher!

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Lize


Bem pensado... vou já tratar disso...rs..rs...

Beijinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..rs..rs..

Viva Vita


Acredita que tinha jeito e talento...rs...rs..rs...rs..

Depois de recuperar do tanto que corei, só posso responder:


Beijiiiiiiiiinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva P. B.

Nem mais...

Para já, sem brincadeiras, gosto da maneira como complementas o que vou escrevendo, reforçando e até acrescentando pontos de vista.

Ninguém nos pode fazer mal sem que nós autorizemos. Na nossa necessidade, legítima, de nos relacionarmos, vamos distribuindo poder entre as pessoas. E elas usam esse poder que lhes damos para nos fazerem bem ou mal.

O ser perfeito é o que tem o absoluto controlo sobre si. E nesse caso, não permite que nada nem ninguém lhe faça mal. A sua auto-estima não depende do que os outros falam de si, lhe fazem ou deixam de fazer, depende apenas da avaliação que faz do quão fiel está a ser aos seus princípios.


Claro, essa partilha das chaves premiadas faz-nos a todos muito mais ricos.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Viva Léa

Sua vida é mesmo caixinha de surpresa..rs..rs..rs.. Quando a gente se diatrai já você está noutra...rs..rs... Falamos depois, então...rs..rs..

Beijocas grandes

Afrodite disse...

Jorge Jorginho...

Estou de volta e voilá...escreveste para mim??? ehehehe é que tive uma sensação qualquer de Deja Vú :). Tenho feito a cena do espelho sim e os bolos...já encomendei, é só combinarmos o locar de entrega ehehehe.

Abreijinhos seu grande euro milhões da amizade!!

Fátima disse...

Oi Jorge,
é bem verdade que temos o euromilhões dentro de nós, mas, mesmo assim, apesar de termos a chave, muitas vazes esquemo-nos dela.
O exercício matinal que aconselhas é realmente bom. Mas o que fazemos quando os filhos(principalmente eles), o marido, os pais, enfim os que amamos, são a luz dos nossos olhos e o reflexo que vemos no espelho é o deles?
Provavelmente sentimo-nos Felizes vivendo para eles. Porém um dia seremos apenas nós, e aí temos que nos redescobrir para voltar a ser feliz.....
"No tempo que a vida passa há sinais de eternidade que ficam". Só não podemos ficar apenas nessa eternidade....
Resta a esperança de um dia acordar e lembrar da tal chave....

Beijinhos.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Afrodite

Em primeiro lugar, escrevi para mim. Em segundo, para todas as pessoas que se desiludem. Por incrível que pareça, existe muita gente que conheço que sofre com os mesmos males.. rs..rs..rs..

Quanto aos bolos... já me estou a babar...rs...rs... Vamos ver...

Beijinhos

Márcio disse...

Meu caro Jorge,
Não podia deixar de comentar isto porque, por vários motivos, já senti o que dizes e queres fazer transmitir na pele, muitas vezes.

Pela primeira vez, em todo este tempo que te leio, vejo-te a escrever a sério.
(não li muito concentrado os comentários anteriores e as tuas respostas)
Não sei bem o motivo de teres escrito um texto tão profundo - e realista - nesta altura. Espero bem que não seja por um motivo menos risonho...
Se for, acredito que tens força para tudo!
Senão for, e apenas o motivo seja o Carnaval, não te preocupes que ninguém te levará a mal por tal texto. Mas desde já ficas a saber que todos já sabiam que tens um coração enorme, meu caro Jorge...

este texto será enviado por e-mail a todos meus contactos (não são muitos)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Fátima

Nem sei por onde começar, tal a profundidade do comentário. Que li e reli vezes sem conta. E até digo que um comentário assim só poderia ter sido escrito por uma mulher. Só ela pode transportar essa generosidade de amar tanto que só vê no espelho o reflexo de quem ama.

Numa relação ideal, a mulher apaga-se para emergir no rosto que o marido e os filhos vêm ao espelho. Numa relação perfeita, cada um abdica de si para ser feliz no amor que recebe do outro. E, em boa verdade, nunca se apaga, porque um e outro são, afinal, um só.

"O que fazemos quando os filhos(principalmente eles), o marido, os pais, enfim os que amamos, são a luz dos nossos olhos e o reflexo que vemos no espelho é o deles?" Amamos, Fátima, amamos.

E se um dia perdermos esse amor, que não percamos a capacidade de amar. E nunca nos arrependamos de termos amado com tal generosidade, porque o Amor e a capacidade de amar sem limites só nos enobrece, mesmo que o alvo do nosso amor venha a provar que não o mereceu.

Ficamos mais vulneráveis? Claro. E há outra forma de amar?

Se um dia vivermos só para nós, não creio que seja necessário a redescoberta. Basta que não esqueçamos quem sempre fomos e a pessoa bonita que revelámos ser por termos sido tão generosos. E que seja o orgulho na pessoa que vemos ao espelho - nós, de novo - o ponto de partida para a felicidade. A chave é a mesma: um coração generoso. Não podemos nunca é abdicar dessa generosidade com quem mais a merece: nós mesmos. Aí sim, pode estar um problema: acreditarmos que temos tanto direito como os outros a sermos felizes.

Fátima, não sei se tudo o que escrevi faz grande sentido. Nem sei se vai ao encontro do que querias realmente transmitir. Escrevi o que sentia, escrevi quase em voz alta.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Márcio

Fica descansado. Eu escrevi este texto depois de ouvir muitos desabafos de pessoas muito amigas. Pessoas que eu sei que têm tanto valor. Pessoas bonitas. Pessoas que nem sabem o valor que têm. E pessoas que sofrem por amores perdidos ou por falta de quem amar. Pessoas que entregam o coração a quem não merece.

Custa-me tanto ver tesouros esbanjados assim. Custa-me tanto que as pessoas nem percebam o quanto valem. E apetece-me gritar: vocês são um tesouro precioso. E acho que ninguém merece ser infeliz, muitas vezes apenas porque não se dá conta que deve, em primeiro lugar, valorizar-se e fazer as pazes consigo próprio.

Obrigado, grande Márcio

D.Antónia Ferreirinha disse...

Ai homem que tu hoje escreveste tão bonito que me tocaste o coração, rsrsrsrs.
Mas tens toda a razão e acredita que também escreveste para mim.
Gajo , quando é a ida?
Beijo super grande.
Isabel.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva D. Antónia

Prezo em saber que cumpri o objectivo do post...

Irei no início da próxima semana

Beijinhos

provocação disse...

eu sorri...sorri porque é uma maneira doce de colocar as coisas mas a vida nem sempre é assim tão clara e eu teria que expôr a minha história pessoal para veres que não é bem assim e infelizmente contrariaria um pensamento tão bonito com uma história tão triste...que prevaleça o teu ponto de vista porque a minha vivência não interessa que se repita a ninguém. Há pessoas que acertam sempre na chave ao lado.

leo disse...

.... tu não só estudaste para padre .... como no teu interior, nunca deixaste de o ser ... e isto que aqui escreves é prova, rovada disso .... e eu que já tive o prazer de te conhecer e de estar a conversa contigo, estou plenamente convencido que as características de um homem, não digo de Deus, mas sim cheio de Humanidad, tu as tens completamente ....

.... se algúm dia te fartares da tua profissão ... poe-te a escrever .... desses livros de psicologia positiva .... ficarás rico!

Tens jeito para expressar o que no íntimo, todos sofremos e/ou vivemos....

Um grande abraço, meu amigo

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Provocação

O que mais me preocupa é que a tua vivência não se repita... contigo. E que a experiência te tenha dado as pistas necessárias para não trilhares os mesmos caminhos. Mas mesmo que tudo se repetisse, que tenhas a capacidade de te levantares de novo, algo que enobrece tanto ou mais do que quem nunca caiu.

Repara: uma coisa é o que eu escrevo ser cor-de-rosa, ingénuo ou até utópico. Outra é ser falsa ou impossível de acontecer. A primeira não implica a segunda e eu acredito que não.

Não ouso pedir-te que contes a tua história por muito que me honrasse ouvi-la. Tenho apenas a certeza que nada do que pudesses contar me obrigaria a alterar uma vírgula do que escrevi. E teria todo o gosto em explicar-te porquê.

Certo, há pessoas que acertam sempre ao lado. Se decidirem aprender com as quedas e levantarem-se de seguida, é bem possível que de erro em erro seja o caminho certo para acertar na mouche...

Eu não te conheço. Limito-me a achar-te genial em muitas coisas que escreves e em render-me, qual puto, perante alguém que nos faz tantas festinhas ao ego. Também por isso prezo a tua companhia e os teus comentários. E se me dizes que sorriste ao ler o post, amiga, nada mais podia pedir-te.

Beijinhos e obrigado por tudo

Jorge Pessoa e Silva disse...

Enorme Leo

Obrigado eu. Ter amigos assim é chagar a um patamar da nossa vida em que pouco mais se pode ambicionar.

Grande abraço e obrigado

P.B. disse...

Olá Jorge

Após um pouco mais de tempo para reler o post e ler com atenção os comentários e devidas respostas, decidi voltar a comentar.
Ao ler o teu post reli-me muito, revivi nas tuas palavras uma coisa que me aconteceu constantemente.
Tal como tu dizes que sempre te mantiveste longe do modelo de homens que faziam suspirar as mulheres, também eu nunca fui uma rapariga muito desejada!
E tal como disse no comentário anterior, não era o espelho que me levantava a estima, muito pelo contrário, sempre achei o meu espelho muito mauzinho rsrsrs

O facto de não nos sentirmos gostados pelos outros, principalmente aqueles pelos quais nutrimos algum sentimento pode por vezes ser devastador. Só a chegada do Márcio à minha vida me fez algum dia sentir bonita, em 24 anos de existência tinha quase a certeza que iria ser uma solteirona, daquelas ressabiadas sem qualquer amor próprio... rsrs

Como disse o Márcio, todos nós já sabíamos que tens um coração enorme, capaz de enriquecer muita gente, tamanho é o valor do prémio que carregas no coração. Fico feliz por fazeres um pouco parte também do meu Euromilhões!

Obrigada Jorge, que tenhas toda a sorte do mundo

Patrícia Villar disse...

Um beijo do tamanho do mundo Jorginho.

**laura** disse...

Já li e reli este teu texto muitas vezes, sem me sentir capaz de o comentar. Porque falas ao coração de cada um de nós, cada um que se revê, no presente e/ou no passado, nas tuas palavras.

Sabes, o ser humano não vive só. Construímo-nos na relação com os outros, a nossa concepção do "eu" está intimamente relacionada com a nossa relação com as pessoas que nos rodeiam, principalmente aqueles que são mais importantes para nós - pais, irmãos, amigos... As relações amorosas exigem de nós um investimento e uma aposta de nós mesmos, que quando vemos que é uma perda de tempo, recusamos a olhar efectivamente. Acreditamos que tudo o que somos está na dependência dessa outra pessoa em quem depositamos tanto de nós. E é difícil sairmos disso, claro que é.

Havia uma publicidade que dizia: Se eu não gostar de mim, quem gostará?
E é verdade. Antes de gostarmos de quem quer que seja, devemos ser nós próprios a prioridade na nossa vida. Devemos cuidar-nos não para os outros, mas antes para nós. Porque só estando bem, e dando valor ao Euromilhões que cada um de nós é, é que poderemos amar e ser amados plena e equilibradamente.

Ler as tuas palavras fez-me recordar muita coisa... Até há bem pouco tempo era incapaz de olhar o espelho com orgulho por aquilo que sou...
Num outro ponto de vista, também eu estive a ponto de não ver as pessoas especiais à minha volta... Mais recentemente, lembro-me de me queixar àquele que era o meu melhor amigo (assim pensava), dizendo-lhe o quanto eu era menor, mais feia, mais desinteressante... E ele que me agarrava o rosto com as duas mãos para me tentar explicar, da melhor maneira possível, que eu tinha de me valorizar e que não era inferior a ninguém... Eu tinha o Euromilhões a dois centímetros de mim, olhando-me nos olhos sem que eu percebesse... Felizmente, não estive cega muito tempo, e vi o prémio que ele me estava a oferecer e me deu no meu 23º aniversário :D (sim, cena de filme romélico mesmo .... )

Beijinhos, Jorge, Bom Carnaval :D

E obrigada por este texto!

Jorge Pessoa e Silva disse...

P. B.

O teu testemunho é muito importante para quem acredita mesmo que será solteirona toda a vida. E até o pode vir a ser, porque o amor não se compra, as relações não se conquistam à força. E há gente que prefere uma má companhia em casa do que viverem sozinhas...

Mas o que eu queria dizer era outra coisa. Eu sempre digo a quem está sem companhia que há sempre uma boa hipótese de ser a melhor coisa que lhe está a acontecer, porque amanhã estará disponível se aparecer o grande amor da sua vida.

Eu duvido que o espelho te punisse tanto quanto dizes... rs.. rs... Mas isso sou eu que ainda estou para conhecer uma mulher feia. Mulher, por ser mulher, vem logo com uns créditos extra em relação ao homem, com uma beleza intrínseca da sua condição feminina que a torna, no mínimo, agradável. Mas dou de barato que não fosse a figura que poderias gostar mais.

Se fosses uma top model, linda de morrer (a esta hora o Márcio está quase a bater-me porque ele acha que não devia estar a usar o condicional...rs...rs...), terias, se calhar, muitos interessados, vários namorados pelo caminho e poderias não estar disponível quando o Márcio apareceu na tua vida. E eu já vos disse, a ambos, o quão bonito eu acho o vosso amor e o quão bonitas são as vossas manifestações de carinho. Inspiradoras mesmo.

Por vezes fazemos dramas do presente e rimo-nos deles mais tarde. O que eu peço às pessoas não é que deixem de sofrer, mas que admitam a hipótese de amanhã tudo ser diferente. E se contemos, acima de tudo, com a nossa companhia. Afinal, onde quer que a gente vá, estaremos sempre connosco.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Patrícia


Beijo aceite com todo o gosto e retribuído com todo o carinho

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Laura

Obrigado, em primeiro lugar, pelo teu testemunho.

Dizes: «Até há bem pouco tempo era incapaz de olhar o espelho com orgulho por aquilo que sou...»

Comento:
Não devemos confundir aquilo que somos com aquilo que fazemos e por norma confundimos. Nem sempre é fácil fazer a diferença, mas é essencial. Em tese, eu não acredito em pessoas más. Acredito que as pessoas fazem coisas más. Que nem precisam ser coisas que prejudicam os outros, muitas vezes são más decisões que nos prejudicam, essencialmente, a nós próprios.

Eu tomo muitas decisões erradas. Sou indisciplinado, tenho demasiados medos para um homem da minha idade...rs..rs...rs.. Mas tento nunca me esquecer quem sou de facto.

A parte que mais me fez sorrir foi a do prémio que recebeste no teu aniversário. Fico mesmo feliz por ti.

Beijinhos e obrigado uma vez mais

**laura** disse...

«Até há bem pouco tempo era incapaz de olhar o espelho com orgulho por aquilo que sou...»

Refiria-me essencialmente à imagem que o espelho reflectia - aquele corpo, aqueles tamanhos de roupa, as imperfeições (porque qualquer mulher acha sempre que tem mil e uma coisas que gostaria de mudar).

Quanto aquilo que somos, além do corpo, tens razão. Todos temos defeitos, todos temos qualidades. Muitas vezes tomamos decisões erradas, decisões que nos magoam ou que magoam quem gostamos... Mas faz parte do desafio que é viver, esforçarmo-nos para sermos melhores, não é?

Beijinhos, Jorge, bom resto de semana :D

Jorge Pessoa e Silva disse...

Percebi, Laura. Sobre isso, respondo o que já disse à P. B.: ainda estou para conhecer a primeira mulher feia... Mas acredito que até a mais bonita das mulheres pode não gostar de tudo o que vê.

Esforçarmo-nos por sermos melhores e, no fundo, por sermos fiéis a nós e aos que amamos.

Espero que ao desejares-me bom resto de semana não estejas a dizer que só cá voltas na próxima... rs... rs...


Beijinhos