sexta-feira, 21 de maio de 2010

Bruna Real e o alarme social




Decidi esperar uns dias até organizar as ideias sobre o que se passou com a professora de música Bruna Real, numa escola primária de Mirandela, suspensa por ter posado nua para a Playboy. Uma boa explicação para iniciar este post, já que a alternativa era dizer que me tinha passado ao lado essa polémica, mas até parecia mal a um jornalista ter de admitir isso. Para gozo já me basta o dos meus companheiros de trabalho, que já levam horas de avanço de reflexão e debate sobre tão pungente assunto.

A autarquia suspendeu Bruna Real porque a sessão de fotografia da revista - que já fez mais pela educação sexual dos jovens e adolescentes do que todas as escolas juntas - causou, passo a citar, «alarme social». Ora, eu gostava de perceber como se mede e quem decreta isso do «alarme social», tendo cá para mim, numa justificação que vale como tantas outras, que a revista causou tal alarido no quartel de bombeiros de Mirandela que, sem querer, fizeram soar o alarme... Ou isso ou outra explicação do género.

Parece que não, o alarme é porque as fotos da professora andavam a circular entre a comunidade escolar. Perante este facto, o engraçado é que não causou qualquer «alarme social» miúdos dos seis aos nove anos terem livre acesso à revista Playboy. Logo, ou alguém andou a vender a Playboy a miúdos dos seis aos nove anos, ou muitos pais são descuidados e deixaram a revista à mão de semear... Mas claro que a culpa só pode ser da professora.

Mas alarme social porquê? Eu olho para as fotografias e começo a imaginar: será que a autarquia tem medo que aquele impressionante par de seios, de tão inchado, expluda numa sala de aula? Ou que a professora, sem querer, provoque um traumatismo craniano na cabeça de um aluno? Será?

Curioso: todos reconhecem que Bruna Real é uma excelente professora e que raramente falta às aulas. Ora na escola da minha filha a professora de música aparece uma em cada quatro aulas e ninguém a suspende. O que me leva a concluir que neste País causa mais alarme social uma professora posar nua do que não pôr os pés na escola, deixando os alunos pendurados...

«Alarme social»? Ainda se fosse a Manuel Ferreira Leite, com todo o respeito, a posar para a Playboy eu até percebia, mas a Bruna Real?


P.S. Parece que a queixa começou com algumas professoras da escola... Professoras? Ai o cotovelo...

12 comentários:

@tt disse...

Só no teu tempo não haviam professoras assim... ah ah ah



(Recorda lá como já foi o ensino...)



Aquele Beijo.

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..rs..

Não, Attitude, não havia...rs..rs..

Pelo contrário, na primária apanhei com uma professora em final de carreira, da escola antiga, que ainda conduzia a disciplina ao ritmo das... reguadas... Talvez se ele fosse como a Bruna Real desse para olhar para o decote e aliviar as dores das reguadas...rs..rs..

Beijocas

EAM disse...

Oi Jorge,

será que só dá para suspender professoras por posarem nuas?
É que o Sócrates anda a f..., quer dizer, a violar o país e ninguém o tira de lá.....
Deve ser uma questão de prioridade....
Enfim.....

Beijinhos

Lane Ferreira disse...

Invejinha de quem nao tem dinheiro para colocar um belo par de silicone!! de certeza que as que reclamam são mães recaldas...
ai ai essa playboy tbm não é mto seletiva, mas pronto com um arranjozinhos digitais chega lá!!

Vou seguir ok?
bjinhos!

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..

Viva Fátima

Senti firmeza no teu prtesto...rs..rs.. Não podia estar mais de acordo. Qualquer dia temos de andar pelados e o que fazem? Suspendem o País? rs..rs..

Beijinhos

Anónimo disse...

Viva Lane,

Bem vinda, para mais, segundo vi no perfil, dessa terra maravilhosa que é Vila do Conde, onde já fui muito feliz quando era adolescente e aí passei alguns tempos.

Alphonse Karr escreveu um dia que «deve julgar-se a beleza não pelas proporções matemáticas do corpo e do rosto mas pelos efeitos que ela produz».

Com esta citação respondo um pouco ao teu comentário e, em especial, ao repto que lanças no teu blog de que a beleza cabe em todos os tamanhos e formas. E não só cabe como a maioria das mulheres mais sensuais que conheci na vida tinham, de acordo com os padrões que alguém recalcado se lembrou de inventar, medidas muito mais generosas do que as standard...

Não me fascinam corpos perfeitos, muito menos seios ostensivamente 'siliconizados'. Gosto de corpos que me contem histórias e tenham marcas pelo caminho, que percorro com os dedos. É como quando vou fazer uma grande viagem: prefiro as estradas sinuosas que me mostram algo do que modernas autoestradas.

A defesa que faço da Bruna Real é uma defesa civilizacional, contra quem tem umas prioridades estranhas de se escandalizar mais com questões de sexo e nudez do que com o que realmente dignifica ou não o ser humano.

Quanto a ti, Lane, força nas tuas convições, obrigado pelo carinho e pelo prazer da tua companhia.

Beijinhos

paulalee disse...

Falou e disse. Adorei.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Olá Paulinha... :-)


E eu adorei que você tivesse cometado

Beijjjjiiiiinhos

P.B. disse...

Olá Jorge

Posso dizer que esta noticia também me passou quase ao lado, ouvi uns zunzuns :)

E eu também sou do tempo das réguas nas mãos e uma cana na cabeça!

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva P. B.

Ainda apanhaste esse tempo? A sério? Mas tu és tão novinha... pensei que tinha sido a minha a última geração com essa poítica de ensino...

Beijinhos

P.B. disse...

No meu tempo também era rígido, não sofri muito com isso, mas vi vários exemplos de lamentar, e nem sou tão nova assim, apesar de gostar de acreditar que sou ;)

Mudou uns anitos depois de eu sair da primária.

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

P. B.

Para mim que tenho 39 é quase um insulto dizeres que aos 27 anos não és assim tão nova... ;-)

Beinhos