sexta-feira, 6 de novembro de 2009

E nós... pimba!

Muita gente me tem perguntado se eu me esqueci da rubrica "Estimado Leitor". Quer dizer, não é que tenha sido tanta gente assim, mas ainda foram uns poucos. Que é como quem diz, uma ou uma pessoa, moi-même...

Pois bem, a meu pedido (não sou capaz de dizer não a mim mesmo), regresso a esse divertido exercício de comentar os que as pessoas escrevem nos motores de busca antes de entrarem no meu blog, sabendo eu que na maioria dos casos não encontra o que pretende. Espero que, apesar disso, não tenham saído desiludidas.

1 - Sintomas de homem virgem

Em primeiro lugar, estimado leitor, olhe para as mãos e para os braços do homem. Se tiver calos numa das mãos e os músculos mais desenvolvidos num braço do que noutro há boas possibilidades de ser virgem. Depois, analise a quantidade de saliva que se fixa nos cantos da boca e a amplitude da elevação das sobrancelhas sempre que vê passar uma rapariga interessante. Se estiver no vai não vai com um homem, há pistas a seguir:

a) Velocidade com que despe a roupa
b) Número de vezes que erra a pontaria
c) Mobilidade dos membros inferiores e superiores, número de quedas e quantidade de nódoas negras que provoca no parceiro
d) Tempo até à explosão final, tecnicamente chamada de orgasmo
e) Outros exemplos que indiciem o quão desesperado ou atrapalhado o homem está.

2- «Porque é que o pénis cresce tanto ao pé de uma mulher?»

Está a ver, leitor que mencionei no ponto anterior? É mesmo deste tipo de sintomas que estava a falar...

Aliás, quando deixar de ser Virgem, a pergunta que este leitor vai fazer será outra: «Porque é que o pénis diminui tanto depois de algum tempo com uma mulher?»


3 - «Homem chupando a própria pimba»
Em primeiro lugar, tomei registo de mais um termo técnico para um dos mais baptizados membros do corpo masculino. Não ganha o primeiro prémio de originalidade, mas fica bem classificado. E pensando bem, agora percebo ainda melhor onde quis chegar o Emanuel com o «nós pimba».

Em segundo lugar, há circos que têm números de contorcionismo muito interessantes, mas não me parece que passem pela... pimba.

Em terceiro: as melhoras para a sua dor de costas, porque se alguém quer ver, seguramente já deve ter experimentado. Cruzes... O narcisismo levado ao extremo.

4 - «Fodas portuguesas»

Bato palmas a este espírito nacionalista. Às vezes pecamos porque não valorizamos o que é nosso, preferindo um «fuck me e um I'm coming» ou um «oh si, cariño», ou mesmo um musical «delícia trepar com você, estou gozando». Quem fez esta busca, deve hastear a bandeira, colocar-se em sentido e cantar o hino. Bravo.

6 comentários:

@tt disse...

Querido Jorge... o teu post é deveras interessante por diversas questões.

1)Penso que não sejam apenas sintomas de homem virgem... os não-virgens também têm calos, um braço mais desenvolvido que outro, também se babam, despem com rapidez e sem jeito, etc...

2)Nem sempre é preciso estar junto de uma mulher para que haja alguma elevação no corpo de um homem... em certos casos é necessário outro homem, e existem uns quantos que sofrem alterações até com a distância e ausência da dita mulher... basta uma revista, uma leitura, uma observação, ou algo cativante (uma voz ao telefone faz milagres!).

3)Na minha modesta opinião todos nós (mulheres e homens) gostávamos de ter o dom de nos chuparmos a nós próprios, haverá alguém que consiga fazer melhor???

4)Não completaste a frase em espanhol e ainda bem, caso contrário o pessoal ainda ria mais... :)) Quanto ao que é nacional... é tão bom!!!

Pronto! Não escrevo mais. Não quero prejudicar ninguém. :O)



Beijo.te

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Attitude

1 - Tens razão. Também há os semi-virgens e aqueles que, por muita experiência que tenham, não aprendem a libertar-se ou a fazer as coisas com maior naturalidade.

2 - Gostei da expressão «elevação no corpo de um homem»...rs..rs.. No fundo, volto a concordar, até porque basta a imaginação, que opera verdadeiros milagres.

3 - Aqui tenho dúvidas. Cada um de nós tem o conhecimento sobre o que nos sabe melhor. Mas sermos nós a saber fazê-lo é diferente. Será um bocado como o médico tratar de si próprio, ou o psiquiatra. Depois, é a tala questão da partilha. Tem mais graça quando é feito a dois. Ou mais, para alguns ...rs..rs..rs...

4 - Já agora, como é em espanhol?! rs..rs..rs..rs...

Beijocas

4 -

Miss Shag well disse...

Oia, comigo é ao contrário: em vez de chegarem ao meu blog por fazerem questões estranhas, chegam ao meu blog e então é que as começam a fazer. Algum dia faço um best off. Loool


Bjs

Jorge Pessoa e Silva disse...

rs..rs..

Viva joaninha

Espero etnão por esse best of..rs..rs..

Beijinhos

Anónimo disse...

amigo embora o não conheça de lado nenhum até porque entrei atravez de uma amiga, não acha um tanto descabido num blogueb abertona todos este tipo de conversa? se calhrav setava melhor num site erótico,não concorda??????
uma admiradora

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva anónima

Embora não concorde consigo, o facto de ter assinado como admiradora confere-lhe o direito de dizer tudo o que achar justo e eu, carinhosamente, respeitar cada palavra, completamente desarmado.

Em segundo lugar, este texto seria o pior possível para um blog erótico e eu espero sinceramente que em momento algum o que está escrito tenha provocado qualquer tipo de reacção da líbido.

Eu respeito demais os blogs eróticos, embora apenas um em cada cem mereça esse título. A palavra erotismo é fortíssima e não merece ser assassinada por textos pseudo eróticos. E como percebeu à primeira, este texto não seria digno de um blog erótico.

Se formos a ver bem, nem pornográfico, já que o objectivo não é excitar ninguém. O objectivo é brincar com a natureza humana e com os fetishes mais estranhos que muita gente, até insuspeita, tem em privado.

Estes textos que escrevo de quando em vez com as palavras que as pessoas usam nos motores de busca, são um exercício de delírio mental. Se reparar, a parte mais crua do texto são as citações que faço daquilo que as pessoas escrevem. Depois, decido brincar com isso.

A realidade é crua e a mente humana está cheia de jardins proibidos. Exorcizar esses fantasmas, ironizando com estes delírios mentais, é o objectivo destes textos.

Perdoe-me o assomo de imodéstia, mas este é um texto de humor. Em que, qual vampiro, sugo dos outros a matéria prima e gloso a meu belo prazer.

Uma última nota para me congratular com o bom gosto da sua amiga...rs..rs..rs..

Beijinho