domingo, 22 de novembro de 2009

Ainda há ladrões educados

Segundo o jornal 'Star Tribune', um ladrão entrou numa agência bancária em St. Paul, no estado de Minnesota (EUA), apontou uma arma a uma empregada da caixa e exigiu dinheiro.

O que fez a senhora? Terá gritado «socorro, uma arma»? Terá accionado o alarme? Terá começado a tremer e desmaiou? Pediu calma ao assaltante e deu-lhe o dinheiro?

Segundo a notícia, a funcionária abriu a boca e disse «NÃO»!!!! Três letrinhas apenas. Sem mais justificações, tipo aqueles funcionários públicos que são mal encarados e recebem-nos com o sorriso típico de quem acha que lhes devemos dinheiro.

O gerente terá começado a suar, os colegas daquela funcionária a rezar pais-nossos e avé-marias à velocidade da luz, até que o ladrão....

Bem, até que o ladrão virou costas e foi-se embora. Só lhe faltou dizer: «peço então desculpa pelo incómodo» ou então, se tivesse mesmo mau feitio, pedir o livro de reclamações... Onde é que já seu viu uma coisa assim, uma funcionária não saber receber com dignidade e cortesia um ladrão que ali aparece para roubar?!!!

A funcionária foi elogiada?

Nem pensem nisso. Levou um sermão da polícia. Que tinha feito muito mal, que abusou da sorte, etc e tal... Tomá lá, bem feito, não tens nada que andar a dizer não a um ladrão, afinal o cliente tem sempre razão...

Eu simpatizo com o ladrão, que querem. Faz-me lembrar, há uns anos, um rapaz que encontrei no meio da rua, de madrugada e com um péssimo aspecto. Dirigiu-se a mim e foi até um bocado agressivo a pedir-me dinheiro. Pedi-lhe desculpa, que não tinha, e que também eu estava tramado com F grande, já que queria comprar tabaco e não tinha dinheiro. Não é que o rapaz pediu-me desculpa e deu-me o cigarro que estava a fumar? Obrigadinho.

12 comentários:

P.B. disse...

olá

rsrsrs

Pelos vistos, há mesmo ladrões simpáticos rsrsrs

Beijinhos

Jacinta Correia disse...

E viva a boa eduação!! Um bj

Freyja disse...

Carísismo Jorge,

Obrigada pela partilha do teu bom humor.

Efectivamente é um perigo dizer que "NÂO" a um ladrão. Essa senhora da agência bancária teve muito sorte.
Tal como tu tiveste! Não é propriamente comum um maltrapilho com o intuito de assaltar alguém, ainda partilhar do cigarro só por solidariedade...

Afinal, será que os ladrões têm coração? Ou será que esse não te espetou uma naifada na barriga porque não estava, ainda, de ressaca?!

Oxalá que não haja próxima, mas caso se suceda, que tenhas pelos menos 2 euros no bolso para lhe dar! :)


Beijo!



PS: Acho que sou das poucas pessoas que conheço que nunca foi assaltada, nem eu, nem qualquer propriedade que considere como minha...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva p.b.

O mundo não pára de nos surpreender...

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Jacinta

Não custa nada e coloca-nos a salvo de alguns problemas :-)

Beijinhos

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Freyja

Olha, formalmente o que aconteceu comigo não foi um assalto. O rapaz interpelou-me a pedir dinheiro, um pouco agressivo é certo, mas sem armas na mão. E por acaso não tinha mesmo dinheiro, o que também não é bom, devemos andar sempre com algum no bolso, eu sei. Por isso, pertenço também a esse grupo felizardo que nunca foi pessoalmente assaltado na vida. Agora, o carro já mo assltaram algumas vezes. Por norma, para não levarem nada, apenas estragaram. Curiosamente, a única vez que me levaram algo do carro, quase que aplaudi: desligaram o alarme, entraram dentro do carro, roubaram um autorádio incorporado que a marca garantia ser inviolável, deixaram os fios impecáveis, sem danificar nada, fecharam o carro, ligaram o alarme e foram embora. Ou seja, o prejuízo foi inferior o outras vezes em que tive de emudar o canhão da fechadura...

beijinhos

Freyja disse...

Caro Jorge,


Lá por não teres sido interpelado de arma em punho não significa que não tenha sido uma tentiva de assalto já que a agressividade serviria com coacção para a entrega de algum dinheiro.

No que toca ao "simpático" assalta do teu automóvel, é ainda mais curioso porque te deixaram a viatura precisamente no mesmo estado (exceptuando o rádio) e ainda com o alarme ligado, não fossem aparecer prái uns gatunos quaisquer que ainda te danificavam o veículo!

Posso-te contar uma história a propósito de assaltos...

Ora porque é que nunca fui assaltada...não faço ideia, mas um dia passou-me assim uma coisa de super mulher pela mente e efectivamente impedi um.

Subia a rua pelas 22:00 e era Outuno. As pessoas já não passeavam mas ainda não se dormia.
Seguindo o cruzamento identifico dois "mafiosos" a enconstarem 1 "desgraçado" a uma parede com violência. Aproximo-me e pergunto com um ar muito grave (ar de má) e pergunto: "Então mas o que é que se passa aqui?"
E para meu grande espanto os "mafiosos" olharam para mim e resmungando qualquer coisa como "não é nada" lá largaram o miúdo e foram-se embora.

Confessamente estava com o coração aos saltos, mas julgo que foi mais incosciência do que demência...

Isto ainda se torna mais caricato se for tido em conta que eu sou, efectivamente, uma muito fraca figura...


Suponho que o elemento surpresa por parte do assaltado possa, eventualmente, se não terminar com um "balázio", ser uma boa solução.


Enfim, haja pelo menos a inteligência para saber quando se é bravo e quando se é demente.


Um beijinho perfeitamente pacifista,

Jorge Pessoa e Silva disse...

Freyja


Quando falaste em «muito fraca figura» imaginei-te, num delírio, com um metro e meio e 48 quilos...rs..rs... Num texto com tanta coisa importante, vê lá por onde às vezes a mente passeia...rs..rs..

Eu acho que foste convincente. E os mafiosos perceberam isso. É a tal questão da atitude ser mais importante do que a figura. O mesmos e aplica à inteligência ou à beleza. Atitude.

Concordo quando alertas para a necessidade para se saber a diferença entre ser herói ou ser irresponsável. Mas há momentos em que um impulso mais forte nos leva a fazer coisas que nunca imaginavamos. E dentro de cada um de nós há sempre um herói. nem que seja por um dia, por uma única vez, por um único momento.

Agora a sério? Tens mais de um metro e meio? rs..rs..rs..rs..rs..

Beijinhos

Freyja disse...

hehehehe

Caro Jorge,

Tenho sensivelmente 1,65 e 50Kgs...
Sou de facto uma fraca figura...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Freyja

O que acho engraçado na tua resposta é que por norma as mulheres diriam «tenho 1,65 e sensivelmente 50kg». Tu foste ao contrário...rs..rs. Mas é certo que só quem se desilude com os quilos que possa ter a mais é que se refere ao peso com um amortecedor «sensivelmente»...rs..rs..rs..

Errei por 15 centímetros e dois quilos....rs..rs..rs..

Quanto à figura, goste-se ou não dela, poucas mulheres vi na vida com uma figura tão marcante como a da Madre Teresa de Calcutá... Voltamos ao mesmo: atitude.

Beijinhos

**laura** disse...

Jorge,
eu no lugar dessa senhora teria ficado parada de pânico eheheheh haja coragem! Mas é natural a polícia ter "ralhado" com ela, correu bem, apanhou um ladrão simpático e bem-educado... se tivesse apanhado um que tivesse acordado com os pés de fora nesse dia, a história podia ser bem diferente.
Bjinhos**

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva Laura

A história seria diferente, estou seguro, porque a resistência da mulher terminaria com a subida das ameaças. Digo eu, que se ela se mantivesse irredutível, seria o próprio gerente a... despedi-la na hora para tomar conta da ocorrência...rs..rs..

Bejinhos